quinta-feira, junho 23, 2011

America Today: The Real Reason We’re Leaving Afghanistan - “the tide of war is receding.”

Whatever President Obama may have thought he was doing in his June 22 speech on troop reductions in Afghanistan, his remarks will be remembered as the point at which America decided it was time to come home. Over the next 15 months or so, a third of the U.S. forces currently in the country will depart, resulting in a much-diminished pace of military activity. Even before the troop reductions were announced, the Pentagon was planning to cease U.S. participation in major combat operations during 2014. So the end of America’s longest war is fast approaching.

President Obama offered several reasons for why it is time to commence troop reductions. First, “the tide of war is receding.” Second, U.S. forces have made impressive progress in dismembering Al Qaeda. Third, overseas wars are costly and the U.S. must turn to its own economic recovery. The president’s critics see a different agenda driving the drawdown, starting with the fact that Mr. Obama is seeking reelection only months after the announced cuts are completed. They detect a lack of presidential leadership on the war that could squander hard-won gains, and hint the White House is simply responding to opinion polls that show deteriorating support for the military campaign.

Notice that these explanations, both pro and con, are mostly about us. The role that Afghans may have played in leading the president to decide on withdrawal barely gets mentioned. But the real reason Washington wants to depart is that its leaders now understand the limitations of the Afghans as allies and nation-builders. Most Americans have only the vaguest notion of who the Afghans are, just as they had little understanding of the Vietnamese, Somalis, Slavs and Iraqis who populated other recent battlefields where U.S. forces have fought. After ten years of counter-insurgency warfare, though, senior U.S. leaders know the Afghans all too well, and they have figured out that Afghanistan is not the kind of stuff from which happy endings can be fashioned.

A few salient facts about the country are in order. Afghanistan’s per capita GDP is about two-percent of America’s, and according to the Senate Foreign Relations Committee, 97 percent of economic activity is tied to the U.S. military presence or international aid. The country’s biggest export is opium. Its biggest import is weapons. Nearly half the population is under the age of 15, and among those who are 15 or older, three-quarters can’t read or write (including seven out of eight women). The polyglot culture is fractured among communities speaking three major languages and 30 minor ones.

Afghan society is characterized by extreme poverty and widespread criminality. The government is weak and corrupt. There are chronic shortages of housing, jobs, electricity and medical care. If you think this sounds too harsh, don’t blame me: I’m quoting from the CIA’s World Factbook entry on Afghanistan. It is very depressing reading, and proof that Afghanistan does not have what it takes to be a self-sustaining democracy.

In other words, there was a reason why Osama bin Laden sought sanctuary in Afghanistan in 1996, and it wasn’t the weather. He knew the country was so isolated, primitive and divided that a small amount of money could buy him all the protection he needed. Having now killed him and two-thirds of his lieutenants over the last two years, the Obama Administration realizes that’s probably the most it can hope for from such an inhospitable place. Economic growth and political stability are not feasible unless America sticks around forever, buying off the warlords and injecting billions of (borrowed) dollars into a backward economy.

The problem here isn’t lack of American resolve. U.S. forces have remained in places such as Germany and South Korea for generations, even when the number of American lives at risk was far greater than the losses incurred in Afghanistan. But there were major economic and security benefits to those commitments, and politicians on both sides of the aisle in Washington have begun to doubt the value of remaining in Afghanistan. Even the geography works against us.

So Washington is moving on. It has had enough of Mr. Karzai and the warlords and the opium growers and the ISI interlopers who have made our mission there even harder than it needed to be. The U.S. intelligence community and special operations forces will continue to wage a vigorous campaign against the remnants of Al Qaeda, but the period of large-scale U.S. military activity in Southwest Asia is coming to a close. A consensus is emerging that America has done what it needed to do in Afghanistan, and now it is time for the locals to start looking out for themselves.

Business in The Beltway

Republic of Angola: José Eduardo dos Santos Appoints Florêncio Mariano da Conceição de Almeida (Italy) Ambassador

Florêncio Mariano da Conceição de Almeida Luanda - Angolan president, José Eduardo dos Santos, Wednesday in Luanda dismissed 26 extraordinary and plenipotentiary ambassadors serving until now in various countries.

According to a note from the Presidency's Press Office, the list is as follows: Manuel Pedro Pacavira (Italy);

Filipe Felisberto Monimambo (Zimbabwe); Apolinário Jorge Correia (Switzerland); Hermínio Joaquim Escórcio (Algeria); Ana Maria Teles Carreira (UK and Ireland); Lizeth Nawanga Satumbo Pena (Poland); António Fwaminy da Costa Fernandes (Índia); Isaías Jaime Vilinga (Greece); José Guerreiro Alves Primo (Ghana); Pedro Hendrick Vaal Neto (Egypt); António José Condesse de Carvalho (Cuba); Manuel Miguel da Costa Aragão (Argentina); José César Augusto (Cape Verde); João Manuel Bernardo (China); Leovigildo da Costa e Silva (Brazil); Brito António Sozinho (Guinea-Bissau); Domingos Culolo (Swden); João Garcia Bires (Mozambique); Luís José de Almeida (Morocco); Josefina Perpétua Pitra Diakité (USA) Arcanjo Maria do Nascimento (UN Geneva Office and International Organisations); Flávio Saraiva de Carvalho Fonseca (Singapore); Fidedigno Loy de Jesus Figueiredo (Viena-based International Organisations); João Vahekeny (Hungary); Alberto do Carmo Bento Ribeiro (Germany); Jaime Furtado (México).

On the other hand, the head of State appointed 31 extraordinary and plenipotentiary ambassadors to several countries.

They are Manuel Miguel da Costa Aragão (Morocco); Isabel Mercedes da Silva Feijó (Greece); Alberto do Carmo Bento Ribeiro (USA); Josefina Perpétua Pitra Diakité (South Africa); Feliciano António dos Santos (Guinea Bissau); Apolínário Jorge Correia (UN Geneva Offices and International Organisations); Arcanjo Maria do Nascimento (African Union); Fidelino Loy de Jesus Figueiredo (Singapore); Maria de Jesus dos Reis Ferreira (Austria); Lizeth Nawanga Satumbo Pena (Hungary); Flávio Saraiva de Carvalho Fonseca (United Arab Emirates); Alberto Correia Neto (Germany); Agostinho Tavares da Silva Neto (Canada); Leovigildo da Costa e Silva (Mexico); Albino Malungo (South Korea); Josefina Guilhermina Coelho da Cruz (Cape Verde); Brito António Sozinho (Switzerland); João Garcia Bires (China), Nelson Manuel Cosme (Brazil); Balbina Malheiros Dias da Silva (Zâmbia); Ana Maria Teles Carreira (Ghana); Osvaldo dos Santos Varela (Switzerland); Isaías Jaime Vilinga (Mozambique); António Fwaminy da Costa Fernandes (Egypt); Hermínio Joaquim Escórcio (Argentina). Hendrick Vaal Neto (Zimbabwe); Domingos Culolo (Poland); Florêncio Mariano da Conceição de Almeida (Italy); Miguel Gaspar Fernandes (UK and Northern Ireland) and José César Augusto (Cuba).

Xyami | Agency | June 2011

Angola/VIH Sida: Mais de seis mil crianças estão infectadas

Mais de seis mil criancas estao infectadaspelo VIH-Sida no paishiv--aids-south-africa-large Luanda | Angop - Seis mil, seiscentos e dezassete crianças estão infectadas pelo VIH/Sida a nível nacional, informou hoje, em Luanda, a directora geral do Instituto Nacional de Luta Contra a Sida, Dulcelina Serrano.

Em declarações à Angop, à margem do 5º fórum nacional sobre a criança, a fonte salientou que do número acima referido estão em tratamento 2.554 crianças infectadas.

De acordo com Dulcelina Serrano, O VIH/Sida continua a ser uma questão preocupante, porque a criança acaba por ser um elemento exposto, sem ter qualquer contacto com o mundo exterior.

Segundo a directora, a criança já corre o risco de na altura da concepção nascer infectada ou vir a contrair a infecção pelo facto de ter nascido de uma mãe seropositiva.

Referiu que a sua prevenção está dependente à informação que a mãe infectada recebe sobre a importância de aderir aos serviços de pré-natal e fazer parte do programa de prevenção da transmissão vertical, que permite oferecer à mulher um conjunto de medidas do ponto de vista médico de formas que reduza o máximo o risco de transmissão do vírus à sua criança.

De acordo com a responsável, as opções terapêuticas para as crianças são muito produzidas, principalmente as formulações em xaropes o que torna muito delicado o acompanhamento destas crianças, quando não estão em condições de tomar as formas terapêuticas em comprimidos.

“Hoje o lema é zero a novas infecções, discriminação e mortes relacionadas com o VIH/Sida e é isso que se pretende para uma Angola melhor”, frisou

No âmbito especificamente da prevenção de transmissão vertical, disse que o Governo tem estado a envidar todos os esforços no sentido de, em todas as unidades que oferecem serviços de pré-natal, estejam inseridas no Programa de Prevenção da Transmissão Vertical, para que todas as mulheres ao serem identificadas positivas possam participar e serem atendidas dentro do programa e reduzir os riscos de transmissão.  

Adiantou ainda que a taxa de prevalência é de 0.8 nas províncias do Uíge, Bié e do Namibe, tendo uma prevalência relativamente baixa comparando aos países da região.

Afrobasket/Angola: Campeões africanos efectuam hoje sessão teórica

afrobasket - campeos angolanos se preparam Cabinda – A selecção nacional de basquetebol sénior masculina, que cumpre em Cabinda a segunda fase da preparação para o Campeonato Africano da modalidade, de 17 a 28 de Agosto em Antananarivo (Madagáscar), dedica o período da manhã de hoje (quarta-feira) a uma sessão teórica no complexo residencial da aldeia olímpica do Cabassango.

Na terça-feira, o técnico Michel Gomez, e os seus adjuntos Jaime Covilhã e Artur Barros, dedicaram-se à avaliação da capacidade individual de cada atleta.

No final do treino, o treinador principal disse ser muito difícil para si esboçar já um "cinco" porque todos jogadores estão a dar o seu máximo, tanto de forma individual como colectiva e ao mesmo tempo tanto dentro como fora do campo salientando que tudo isso será posto em consideração.

Michel Gomez anunciou para os próximos dias a intensificação do trabalho ofensivo, por considerar o mais importante, e no final da semana começarão com os aspectos defensivos.

Referiu que possuir um grupo "bastante experiente", que tem estado a facilitar o seu trabalho porque, segundo frisou, são os "herdeiros" do trabalho que é feito durante toda época nos clubes. Portanto, trouxe apenas alguns dados sobre o basquetebol europeu.

No Afrobasket2011, Angola está no grupo B ao lado do Tchad, Marrocos e Senegal. O cinco nacional procura o 11º título continental e consequentemente a qualificação para os Jogos Olímpicos de Londres2012 (Inglaterra).

Lista dos pre-seleccionados: Paulo Santana, Milton Barros, Domingos Bonifácio, Roberto Fortes, Simão Santos, Olímpio Cipriano, Carlos Morais, Jorge Tati, Leonel Paulo, Eduardo Mingas, Kikas Gomes, Felizardo Ambrósio, Divaldo Mbunga, Miguel Kiala e Valdelício Joaquim.

Via | Angop

terça-feira, junho 21, 2011

Vida Dogital: Cinco regras básicas para evitar problemas no Facebook

i-love-kisses-kiss-me-facebook Num mundo interligado por redes sociais e onde as possibilidades da tecnologia estão em constante expansão convém ter noção de que, mesmo na vida virtual, devem existir limites. Nesse sentido, a BBC compilou uma lista de cinco regras básicas a ter em atenção para evitar problemas no Facebook.

1- Não aceitar amizades de pessoas que desconhece

Adicionar como amigo? Pense antes de 'confirmar'.

Nestes dois casos, as pessoas que adicionaram quem mal conheciam acabaram por se arrepender.

Joanne Frail era jurada em julgamentos. Tendo conhecido Jamie Stewart, num processo em que esta era arguida por tráfico de drogas, procurou-a no Facebook e tornou-se sua amiga na rede. O contacto entre ambas chegou ao conhecimento da Justiça e, menos de um ano depois, Frail estava novamente num julgamento, só que desta vez era o seu. Foi constituida arguida por desrespeito às regras da Justiça.

2- Não reclamar da entidade patronal

Se à primeira vista é óbvio que dizer mal do chefe no Facebook pode ser um tiro no escuro, a verdade é que esse problema é surpreendentemente comum.

De acordo com a BBC, recentemente, uma mulher, identificada apenas como Lindsay, declarou no seu perfil: «Meu Deus, como odeio o meu trabalho!», seguido de ataques pessoais ao chefe. Poucas horas depois receberia um post do mesmo (que se encontrava entre os seus amigos) dizendo que ela não precisava de ir trabalhar no dia seguinte e que receberia a carta de demissão pelo correio.

3- Evite colocar fotografias problemáticas na rede

A menos que tenha as suas definições de privacidade bem editadas e actualizadas, o embaraço e vergonha são quase inevitáveis quando certas pessoas vêem determinadas fotografias que coloca no site.

Cuidado redobrado deve quem ocupa cargos públicos. No entanto, isso nem sempre se verifica.

Foi o caso dum vereador do País de Gales que viu publicadas na rede fotos em que estava mascarado de nazi. Essa fotografia levá-lo-ia a ser suspenso das suas funções.

4- Caso tenho dito que está doente para não ter de ir trabalhar fique longe do Facebook.

Mostrar publicamente o quanto está a aproveitar um dia em que, supostamente, estava doente

Uma canadiana Nathalie Blanchard, que estava de licença médica devido a uma depressão, conta que perdeu o subsídio depois da seguradora ter encontrado no Facebook fotos em que aparece divertindo-se, viajando e fazendo noitadas com amigos.

5- NÃO conte segredos

Não é possível guardar segredos no Facebook!

O governo de Israel foi um dos primeiros a preocupar-se com informações sensíveis na Internet  depois da avaliação às páginas dos seus soldados ter revelado que estes publicavam fotografias de bases aéreas, centrais de operações e submarinos.

Após o episódio, as Forças Armadas de Israel estabeleceram novas regras, que proíbem, entre outras coisas, a publicação de fotos de pilotos ou membros de unidades especiais e qualquer coisa que mostre manobras militares específicas.


domingo, junho 19, 2011

Qual é o maior dos tesouros nesta vida?! por Elisabeth Cavalcante

a luta pela dignidade_ant_brasil_angola O tesouro mais valioso que o ser humano deveria ambicionar, conquistar, é a sua dignidade. Mas ela só pode existir na presença de um elemento essencial, que é a consciência.
Aquele que permanece inconsciente de seu próprio poder interior, torna-se presa fácil dos manipulares e se submete sem qualquer reflexão, às exigências provenientes do mundo exterior.
Ele é facilmente reconhecível por aqueles que possuam uma mínima capacidade de observação. Amolda-se a qualquer regra, sem nenhum questionamento, para garantir a aprovação e a estima dos demais.
Nem sequer percebe que está sendo usado por variados interesses e, um dia, pode ser surpreendido pelo descarte puro e simples daqueles a quem imaginava agradar.
A dignidade não permite que nos submetamos a circunstâncias em que o respeito à nossa condição humana esteja ausente. Quem confia no direcionamento ditado por sua consciência, está disposto a pagar o preço que for preciso para manter-se fiel a si mesmo.
Os relacionamentos que estabelecemos ao longo da vida, -sejam sociais, profissionais ou afetivos-, constituem o principal campo de provas para o exercício de nosso auto-respeito.
Abrir mão de nossa dignidade para ser aceito por quem quer que seja, é o caminho mais fácil para a dependência e a escravidão.
É essencial que busquemos, a cada momento, encontrar dentro de nós a resposta a este simples questionamento: estou vivendo em sintonia absoluta com minha dignidade?
Se não conseguirmos obter um sim a esta pergunta, é hora de começar a repensar a maneira como temos enxergado nosso próprio valor.
"Zarathustra divide a evolução da consciência em três símbolos: o camelo, o leão e a criança.
O camelo é um animal de carga, pronto para ser escravizado, nunca rebelde. Ele jamais consegue dizer 'não': é um crente, um seguidor, um escravo fiel. Este é o mais baixo nível da consciência humana.
O leão é uma revolução.
O princípio da revolução é um sagrado 'não'.
Na consciência do camelo, há sempre uma necessidade de alguém conduzir e de alguém para lhe dizer: 'Tu deves fazer isto'. Ele precisa dos Dez Mandamentos. Precisa de todas as religiões, de todos os sacerdotes e de todas as escrituras sagradas, porque ele não pode confiar em si mesmo; não tem nem coragem e nem alma e nem qualquer desejo pela liberdade: é obediente.
O leão é um anseio profundo pela liberdade, um desejo de destruir todos os aprisionamentos. O leão não tem necessidade de nenhum líder - ele é suficiente em si mesmo. Não permitirá que ninguém diga a ele: "Tu deves".- isto é insultante para o seu orgulho. Ele só pode dizer: "Eu quero". O leão é responsabilidade e um tremendo esforço para se livrar de todos os aprisionamentos.
Mas, mesmo o leão não é o mais alto pico do crescimento humano. O mais alto pico é quando o leão passa também por uma metamorfose, e se torna uma criança. A criança é inocência. Não é obediência, não é desobediência; não é crença, não é descrença: é pura confiança; é um sagrado 'Sim!' à existência e à vida e a tudo que esta contém.
...Zarathustra é absolutamente a favor do espírito forte. Ele é contra o ego, mas não contra o orgulho. O orgulho é a dignidade do homem. O ego é uma entidade falsa e não se deve pensar neles, jamais, como sinônimos.
O ego é algo que o priva da sua dignidade, que o priva de seu orgulho, porque o ego tem de depender dos outros, da opinião dos outros, do que as pessoas dizem. O ego é muito frágil. A opinião das pessoas pode mudar e o ego desaparecerá no ar.
...Zarathustra deixa absolutamente claro que ele é a favor do homem forte, do homem corajoso, do aventureiro que entra no desconhecido, por caminhos não trilhados, sem nenhum medo. Ele é a favor do destemor.
...A mais baixa consciência no homem é uma deformidade: ela quer ser escravizada - ela tem medo da liberdade, porque tem medo da responsabilidade;
...A mais baixa consciência do homem permanece ignorante e inconsciente, alheia, adormecida - porque, continuamente, está sendo dado a ela o veneno da crença, da fé, do nunca duvidar, do nunca dizer não. E um homem que não pode dizer 'não', perdeu a sua dignidade.
...Não se consegue fazer de um leão um animal de carga.
Um leão tem uma dignidade que nenhum outro animal pode suster; ele não tem qualquer tesouro, qualquer reino; sua dignidade está apenas no seu estilo de ser - destemido, sem medo do desconhecido, pronto para dizer 'não', até mesmo sob o risco de morte.
...E somente depois do leão - depois do grande 'não'-, o sagrado 'sim' de uma criança é possível.
...Há momentos, até na vida daqueles que estão tateando no escuro e na inconsciência, quando, exatamente como um relâmpago, algum incidente os acorda... e o camelo não é mais um camelo: uma metamorfose, uma transformação acontece.
Gautama Buda deixou seu reino quando tinha vinte e nove anos de idade, e a razão foi um súbito relâmpago: e o camelo se tornou um leão.
...A existência tem um interesse no investimento do seu despertar, porque o seu despertar vai acordar muitas pessoas.
E, como uma regra geral, toda a consciência da humanidade será afetada por isso. Isso imprimirá algo de sua grandiosidade em cada ser humano inteligente. Talvez possa criar o anseio profundo pelo mesmo, em muitos - talvez a semente possa começar a germinar. Talvez, aquilo que está dormente se torne ativo, dinâmico.
...Um homem que tenha um espírito rebelde - e sem um espírito rebelde, a metamorfose não pode acontecer - tem de dizer: quero fazer seja o que for que a minha consciência sinta ser certo, e não quero fazer seja o que for que a minha consciência sinta ser errado. Exceto meu próprio ser, não há nenhum outro guia para mim.
...O leão não pode por si mesmo criar novos valores, mas ele pode criar a liberdade, a oportunidade na qual novos valores podem ser criados.
E quais são os novos valores?
Por exemplo: o Novo Homem não pode acreditar em nenhuma discriminação entre os seres humanos. Este será um novo valor: Todos os seres humanos são um só, a despeito da sua cor, a despeito da sua raça, a despeito das suas geografias, a despeito da sua história. Apenas "ser humano" é o suficiente.
...A verdade não é um brinquedo, você não pode comprá-la pronta... Você terá de procurá-la nos silêncios mais profundos do seu próprio coração. E, exceto você, ninguém mais pode ir lá.
...E onde quer que você fique sentado silenciosamente, meditativamente, amorosamente, você cria um templo de consciência ao seu redor. Você não precisa ir a lugar algum para adorar, porque não há ninguém mais elevado do que a sua consciência, a quem você deva fazer qualquer adoração.
...O verdadeiro sábio novamente se torna uma criança.
O círculo está completo - vir da criança de volta para a criança.
Mas, a diferença é enorme.
A criança, como tal, é ignorante. Ela terá de passar através do camelo, através do leão e voltar, novamente, para a criança - e esta criança não é exatamente a velha criança, porque ela não é ignorante. Ela atravessou todas as experiências da vida: da escuridão, da liberdade, de um impotente "sim", de um feroz "não" - e, não obstante, se esqueceu de tudo aquilo.
Isso não é ignorância, mas inocência. A primeira infância era o começo da jornada. A segunda infância é o complemento da jornada".
As Três Metamorfoses do Espírito (Comentários de Osho sobre o Zarathustra de Nietzche)

:: Elisabeth Cavalcante ::

USA/Crise económica: País mais rico do mundo pode entrar default já em agosto

Os chineses e as agências de notação Fitch e Moody's zangaram-se com o Congresso americano. Se o limite de endividamento dos EUA não for aumentado, 30 mil milhões de dólares de títulos do Tesouro que vencem a 4 de agosto podem estar em maus lençóis.

homeless-familhas-americanas-perdem-tudo A palavra default subiu pela primeira vez explicitamente ao palco político nos Estados Unidos e passou a ser tema de conversa no mundo. A crise da dívida soberana ameaça entrar na vida americana. A luta política no Congresso dos Estados Unidos em torno do aumento do limite de endividamento do governo federal está a provocar uma onda de nervosismo entre os investidores na dívida emitida pelo Tesouro americano..

Dois responsáveis chineses advertiram na semana que terminou que os parlamentares americanos que se opõem ao aumento desse teto estão "a brincar com o fogo". Li Daokui, do Banco Central da China, afirmou que havia o risco real de um default da dívida americana, no que foi acompanhado por Yuan Gangming, da Academia de Ciências Sociais da China. Gangming referiu inclusive que a guerrilha política interna nos Estados Unidos, à medida que se aproxima a eleição presidencial de 2012, poderá colocar em risco a situação do Tesouro americano. Segundo a Reuters, alguns congressistas republicanos "pensam que um default técnico [no princípio de agosto] poderá ser o preço a pagar para que a Casa Branca aceite cortar na despesa" e imaginam que os credores aceitariam "um pequeno atraso, talvez uns dias" até que consigam dobrar Obama. O novo ano fiscal inicia-se a 1 de outubro, pelo que esta guerrilha não vai parar no verão.

Para além da China, logo o Banco Central da Índia e o Banco Central do Omã (refletindo a voz do Golfo) vieram manifestar publicamente a sua apreensão.

Rating ameaçado

Para completar o ramalhete, a agência Fitch, veio ameaçar na quarta-feira que poderia baixar no princípio de agosto orating dos Estados Unidos do nível atual de triplo A para B+ se se verificar qualquer default técnico ou  moratória na altura do vencimento de letras do Tesouro americano no valor de 30 mil milhões de dólares a 4 de agosto, e se o assunto não for resolvido até 11 de agosto, quando há novo vencimento de dívida. Na semana anterior tinha sido a vez da Moody's Investors Service a ameaçar que procederia a uma revisão da notação dos Estados Unidos em julho se o assunto continuar no pé atual.

Este problema deriva do facto do nível máximo de endividamento federal já ter sido atingido a 16 de maio. Um conjunto de medidas extraordinárias tomadas pelo secretário do Tesouro, Tim Geithner, permitiu adiar a situação de rutura até 2 de agosto.

A dívida pública americana atingiu os 14,3 biliões de dólares. Cada cidadão americano nasce com 143 mil dólares de dívida ao pescoço desde que o cordão umbilical é cortado. O PIB americano foi de 14,7 biliões no ano passado, pelo que a dívida pública é praticamente 100% do PIB.

Mal estar económico: retoma que não retoma

Os números da economia americana continuam a desagradar. E muitos analistas e economistas falam do risco de uma recaída na recessão - double-dip na designação inglesa. O desemprego, segundo o relatório do US Bureau of Labor Statistics de 3 de junho, atingiu os 13,9 milhões de pessoas, uma taxa de desemprego de 9,1% em final de maio, em que o desemprego estrutural é de 45,1% e o desemprego entre os jovens é de 24,2%. É o mais alto desemprego estrutural desde 1969 . O número mais elevado neste período foi em janeiro de 1983 com cerca de 3 milhões - hoje são 7 milhões.

Há já mais de 800 mil "trabalhadores desencorajados" que já não procuram emprego. Espera-se que o nível de desemprego suba para 9,2% em final de junho.

A economia americana vive em 70% do consumo interno e este está afetado por duas doenças: o desemprego (já referido) e a quebra brutal no valor do imobiliário detido pelas famílias americanas. A baixa do preço do imobiliário (e o consequente valor em ativos detidos pelas famílias) desde o rebentar da bolha em 2007 já fez desaparecer 7 biliões de dólares (cerca de €5 biliões) e espera-se que caia mais 1 bilião no próximo ano. O professor Robert Shiller, da Universidade de Yale, e co-autor de um indicador sobre o imobiliário americano (conhecido como S&P/Case-Shiller home price índex), disse esta semana que não ficaria surpreendido se os preços do imobiliário caíssem ainda mais 10 a 25%, segundo a Reuters.

Ben Bernanke, o presidente da Reserva Federal (FED, o banco central), no seu discurso da semana passada na Conferência Monetária Internacional, em Atlanta, apesar de admitir uma retoma económica "espasmódica e frustrante" que continuará a exigir "uma política monetária acomodatícia" (na fixação dos juros), insistiu que o consenso dentro da equipa da FED é que se assistirá a uma inversão no segundo semestre e que o surto inflacionário será temporário. No entanto, o presidente da FED advertiu os políticos republicanos que "uma consolidação orçamental abrupta no curto prazo" poderá enfraquecer ainda mais a "retoma ainda frágil".

Este desapontamento ocorre em simultâneo com uma economia totalmente inundada por dinheiro quente. A base monetária dos EUA atingiu agora um recorde de 2,5 biliões de dólares (€1,75 biliões, €1750 mil milhões). Há menos de 3 anos, durante a bolha, essa base monetária era de 820 mil milhões de dólares, ou seja a intervenção monetária na economia desde a crise gerou um aumento de 300% - o que compara com os magros 44% entre 2000 e 2007.

Quem beneficiou da injeção monetária?

Para onde foi essa inundação de dinheiro? Não para a economia real. Os bancos aumentaram as suas reservas na Reserva Federal (FED) e embrenharam-se na especulação financeira uma vez mais.

Peter Cohan, em declarações ao Expresso, é muito claro sobre esta política de Bem Bernanke: "Já vimos que o efeito desta injeção de dinheiro não levou ao crescimento do emprego - as empresas estão a 'armazenar' o dinheiro nos seus balanços, os bancos usam-no para comprar títulos do Tesouro em vez de emprestar às empresas e ostraders utilizam-no para especular nas commodities".

Paul Krugmam colocou os nomes nos bois na sexta-feira passada na sua coluna no The New York Times com um artigo sugestivamente intitulado: "Governados por rentiers". Rentiers é a palavra francesa, usada em economia, para os que vivem de rendas financeiras. Diz o Nobel: "Estou cada vez mais convencido de que [a paralisia das políticas transatlânticas] é uma resposta à pressão de grupos de interesse. Conscientemente ou não, os decisores estão a servir quase exclusivamente os interesses dos rentiers".

Preocupante também o facto da FED ter ultrapassado a China como principal credor do Tesouro norte-americano. Harm Bandholz, economista-chefe do UniCredit nos EUA, deu os detalhes: em virtude do QE2 (2º programa de alívio quantitativo, quantitative easing em inglês, que injetou 600 mil milhões de dólares), a FED passará a deter 16% da dívida federal no final de junho, bem à frente da China que deteria menos de 12% em finais de março. Os detentores seguintes desta dívida são as famílias americanas (como aplicação de poupanças), o Japão, os governos estaduais e locais da federação americana e os fundos de pensões privados.

Se Ben Bernanke decidir não renovar nenhum programa de alívio quantitativo quando o QE2 terminar no final deste mês, alguém terá de preencher o lugar principal na aquisição de títulos do Tesouro e para tal os juros dos títulos do Tesouro terão de subir significativamente para ser atrativos. Atualmente, os juros dos títulos do Tesouro americano são mais baixos do que os juros dos Bunds (títulos alemães) nas maturidades a 5 anos (1,56% contra 2.17%), mas superiores nas maturidades a 10 anos (2,97% contra 2,96%) e 30 anos (4,18% contra 3,52%).

As bolsas refletiram este mal-estar. O índice bolsista S&P quebrou 1,4% na sexta-feira, findando uma semana em que caiu 2,24%. Desde o pico em 29 de abril, o S&P já desceu quase 7%. Foi a sexta semana consecutiva em baixa. O índice bolsista Dow Jones desceu abaixo dos 12.000 pontos.

Jorge Nascimento Rodrigues (www.expresso.pt)

Portugal 2011: Resultados finais das legislativas com as cores do Parlamento

Com todos os votos apurados, saiba como vão ser distribuídas as cores partidárias pelos lugares do Parlamento.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postes populares