quarta-feira, novembro 20, 2013

Dirigente do MPLA repudia postura da UNITA - Bento dos Santos “Kanganba”

O secretário do comité provincial do MPLA para organização e mobilização periférica e rural, Bento dos Santos “Kanganba”, afirmou nesta terça-feira que a manifestação convocada pela UNITA, para o dia 23 deste mês, é um mero acto de aproveitamento político.

Em declarações à Angop, em Luanda, disse não haver razões para convidar o povo a sair às ruas, porquanto o caso já está a ser investigado pelas autoridades nacionais, no caso a Procuradoria Geral da República.

“A Procuradoria-geral da República já se pronunciou sobre a detenção de quatro pessoas relacionadas ao rapto e eventual homicídio de dois cidadãos. O caso segue o seu curso normal e por isso cabe à sociedade civil esperar pelos seus resultados”, expressou.

Do seu ponto de vista, a oposição está a aproveitar-se deste momento para fazer “campanha” e atentar contra o nome do MPLA, em particular do seu presidente, José Eduardo dos Santos, também Chefe de Estado.
“Esta mesma oposição acha que é através de manifestações que vai mudar o voto, ignorando que o mesmo só é conquistado através do pleito eleitoral”, declarou.

COOPERAÇÃO ANGOLA & ITÁLIA | Ministro angolano da Defesa Nacional, Cândido Van-Dúnem, já em Roma

MINISTRO DA DEFESA, CÂNDIDO PEREIRA VAN-DUNEM
Luanda - No âmbito da cooperação bilateral entre Angola e a Itália, para qual ambas partes deverão rubricar acordos no domínio da defesa, o ministro da Defesa Nacional, Cândido Pereira dos Santos Van-Dúnem, chegou no fim da tarde de hoje, domingo, a Roma, capital italiana, para uma visita oficial de trabalho de cinco dias, com este propósito.

No aeroporto militar de Roma, o titular da pasta da Defesa foi recebido por altas entidades italianas ligadas ao Ministério da Defesa local, membros da embaixada angolana acreditadas neste país e por oficiais generais  e superiores das Forças Armadas Angolanas que aí já se encontram  integrando a delegação  do titular da pasta  da Defesa angolana.

Candido Van-Dúnem antes da sua partida para Roma, na Base Área de Luanda, afirmou, em declarações à Angop, que leva consigo um projecto de acordo de cooperação no capítulo da defesa e "tão logo estejam criados os pressupostos as partes (angolana/italiana)  poderão assinar os documentos se for de interesse comum".

Para o ministro Cândido Van-Dúnem, no âmbito da cooperação entre os estados tem sido uma norma estabelecer relações no domínio da defesa com países com quem Angola deve encontrar soluções que sejam reciprocamente vantajosas.

"O nosso propósito de ir a Roma é precisamente com o objectivo de reforçarmos os laços de cooperação com este país",  referiu o governante.

Instado a pronunciar-se sobre o estado das relações bilaterais entre Angola e a Itália, o ministro considerou-as "excelentes".

"O estado de cooperação entre os dois países é bom, pois a Itália é um país da Europa que tem potencial, no qual Angola poderá apoiar-se  em alguns  projectos que nos possam ser úteis. As relações de outra natureza também são boas, o que quer dizer que estão criados os pressupostos para que as mesmas continuem a fluir bem",  acrescentou.

No quadro da deslocação, a decorrer de 17 a 22 do corrente mês, Cândido Van-Dúnem e a delegação que o acompanha visitarão alguns empreendimentos fabris militares italianos.

Recorde-se que em Junho último, uma delegação militar italiana, chefiada pelo tenente-general De Pascali Carmine, chefe da Política Industrial e Relações Internacionais do Ministério da Defesa da Itália, esteve em Angola, para traçar os mecanismos do reforço da cooperação bilateral, neste domínio.

Via|Agências

quinta-feira, outubro 17, 2013

Angola investiu 341 milhões de euros em Portugal só em 2012

Os dois países garantem que continuam a trabalhar normalmente para a cimeira de Fevereiro, sobre o reforço da cooperação bilateral.

Como nos grandes romances, Portugal e Angola vivem uma relação conturbada que só a história pode explicar. Daquilo que parecem não restar dúvidas - basta olhar para a balança comercial -, é que os dois países têm mais a lucrar unidos do que de costas voltadas. Por isso o discurso de terça-feira última do Presidente de Angola, José Eduardo dos Santos, ao afirmar "as coisas não estão bem" e que não há condições para parceria estratégica, atingiu Portugal com preocupação.

Existem mais de 300 sociedades anónimas portuguesas em Angola, concentradas sobretudo em Luanda, e outros tantos pequenos negócios. Há 117 512 portugueses inscritos nos serviços consulares portugueses naquele país, de acordo com dados do Ministério dos Negócios Estrangeiros, mas calcula-se que haja entre 150 e 200 mil portugueses emigrados em Angola.

Os ciclos migratórios entre os dois países inverteram-se nos últimos quatro anos e hoje há pouco mais de 30 mil cidadãos angolanos registados em Portugal. Quanto ao número de empresas, apenas 11 sociedades portuguesas tinham o seu capital social detido em mais de 50% accionistas angolanas, segundo dados do INE - Instituto Nacional de Estatísitca relativos a 2011.

Aqui, é preciso notar que nos dois últimos anos os investidores angolanos têm vindo a aumentar a sua presença no país através de diversas empresas ligadas a diferentes sectores de actividade, das telecomunicações à banca, passando pela energia.

Para dar uma ideia, e apenas no universo das empresas cotadas (onde as participações são todas inferiores aos referidos 50%), os angolanos têm 15% da Galp (1,510 mil milhões - Esperanza), 29% da Zon (306 mil milhões - Isabel dos Santos), 19,44% do BCP 425 mil milhões de euros - Sonangol), 19,5% do BPI (324 mil milhões - Isabel dos Santos), 15% da Cofina (8 mil milhões - Newshold) e 1% da Impresa (7 mil milhões - Newshold).

Se olharmos para o investimento directo (ID), os números revelam que Portugal gastou em Angola o dobro do que Angola investiu em Portugal nos sete primeiros meses de 2013. E é aqui que encontramos as maiores oscilações. Nos últimos seis anos, ambos os países têm vindo a reduzir estes fluxos. Em 2008, o ID de Angola em Portugal foi de 49,820 milhões de euros, atingindo um máximo de 341,192 milhões de euros em 2012 e um valor negativo de 102,842 milhões em 2011. Ao contrário, o ID de Portugal em Angola foi de 775,127 milhões em 2008, atingindo um máximo de 909,505 milhões em 2011 e um mínimo de 312,823 milhões de euros em 2012.

Olhando para a balança comercial, as exportações têm vindo a manter-se sensivelmente nos 2 mil milhões de euros desde 2008, atingindo o máximo de quase 3 mil milhões no ano passado. Se olharmos para a importações, elas subiram de 407,9 milhões de euros em 2008 para 1,781 mil milhões de euros em 2012. Este ano, entre Janeiro e Agosto, o valor atingia já os 2,071 mil milhões.

Cimeira em Fevereiro O Ministério dos Negócios Estrangeiros garantiu ao «i» que a primeira cimeira Portugal/Angola, prevista para Fevereiro, em Luanda, mantém-se como previsto e todos continuam a trabalhar para isso. Ironia ou não, o tema é o "Reforço da Coopeação Bilateral, Crescimento Económico e Desenvolvimento Sustentável". Também o Ministério das Relações Exteriores de Angola não tem qualquer informação que indique a alteração da data.

Apesar disso, algumas fontes contactadas pelo jornal acreditam que, numa posição de força, Angola poderá acabar por adiar o encontro, a menos que o governo português se empenhe na intensificação da actividade diplomática.

Uma das principais questões que se coloca é quem poderá resolver esta sucessão de acontecimentos que estão agora a travar o estreitamento das relações entre os dois países que, ainda há um ano, segundo o presidente da AICEP - Agência Para o Investimento e Comécio Externo de Portugal, Pedro Reis, estavam a atravessar o seu "momento mais alto".

O dedo aponta para o presidente da República, Cavaco Silva, amigo de longa data de José Eduardo dos Santos, com quem manteve sempre uma relação de extrema importância (tal como com o MPLA), ou para José Sócrates, "o primeiro socialista de quem os angolanos gostaram", como disse ao i um economista influente em Luanda.

Resta saber se um dos dois estará disponível para se expor ou se prefere enviar um representante de forma a serenar os ânimos e a prevenir eventuais entraves aos negócios entre Portugal e Angola.

Para Portugal, como para Angola, é importante manter a cimeira, na qual muitos depositavam esperanças a vários níveis. A primeira vitória seria a assinatura de um acordo de dupla tributação; ser o primeiro Estado a concluir um acordo desta natureza poderia posicionar Portugal como plataforma de investimento em Angola. Até porque há outros países na corrida, como a Holanda, que tem um argumento de peso, o faco de ser uma praça financeira com tradição internacional e holdings de todos quatro cantos do mundo disponíveis para investir no resto do globo.

Recentemente, o Fundo Monetário Internacional reviu em baixa o crescimento económico de Angola para 5,6% este ano e 6,3% em 2014 (contra 6,2% em 2013 e 7,3% em 2014).

A razão do abrandamento do crescimento face ao valor do ano passado (8,4%) prende-se essencialmente com os "atrasos na execução do orçamento", que não são, no entanto, nem quantificados nem especificados. De acordo com as previsões, a inflação vai desacelerar dos 10,3% registados em 2012 para 9,2% neste ano e 8,5% em 2014.

Angola tem 14 vezes e meia o tamanho de Portugal e perto de 18 milhões de habitantes,sendo que quase metade vive em Luanda - uma capital sobrelotada com um sistema de saneamento básico preparado para 600 mil pessoas.

Fonte: Jornal i

sábado, setembro 21, 2013

Roma Kizomba Festival (RKF) | 6-8 Giugno 2014 | AFROlatinfeelings

ROMA KIZOMBA FESTIVAL | DAL 6-8 GIUGNO 2014
Mobile: 320.5320.188 - 338.4994.766
E-mail: kizomba.roma@gmail.com

Roma Kizomba Festival 6-8 giugno 2014

DALL'ANGOLA AL MONDO | Così la Kizomba, il Semba, il Kuduro corrono sulle strade dell'Italia. Per dar un senso a questa storia, per rendere queste esperienze ancora più ricche, ancora più significative e più interessanti, Kizomba Romana & Partners organizzano il primo ROMA KIZOMBA FESTIVAL. Oltre il ballo, la cultura e la tradizione vissute in prima persona.

Dal 6 al 8 giugno 2014, la Kizomba invaderà ogni angolo di Roma. Con spettacoli, dimostrazioni, stages e "Grandes Farras" all'angolana.

Programma, partecipanti, feste in aggiornamento
Stages di Kizomba
Stages di Semba
Stages di Kuduro & Afro-House
Stages di Bachata
Stages di Afro 1,2,3
Stages di Rumba
Working Progress

Cfr: https://www.facebook.com/events/427345787377794

|||||||||||||||||||||||||||| ♣♣ |||||||||||||||||||||||||||
Kizomba Romana Eventi (KR), organizzazione impegnata dal 2007 per diffondere la vera Kizomba, Semba, Tarraxinha, Kuduro - Afro|House ed altri balli Afro ✮✮✮
Mobile: 320.5320.188 - 338.4994.766
E-mail: kizomba.roma@gmail.com
Web: https://www.facebook.com/kizomba.romana
|||||||||||||||||||||||||||| ♣♣ |||||||||||||||||||||||||||

quinta-feira, setembro 19, 2013

COOPERAÇÃO INTERNACIONAL | O papel das espias nas relações entre os estados

Snowden - Barack Obama e Dilma

Com o desenvolvimentos dos sistemas informáticos capazes de quebrar todas as encriptações existentes - Cfr. Prism, Echelon, Cyberwarfare -, o factor "humano" retorna no centro das operações. Eis que "torna-se 'pressante'" a necessidade de Escolas Especializadas em formação de homens adaptos às "Secretas" do III Milênio: quadros capazes de entender a complexidade das sociedades actuais, capazes de dominar os sistemas informáticos de ataque e defesa, assim como criar novos modelos de comunicação. É tempo de especializações: fim das improvisações de africana memória.

Tendo em consideração o modus operandi das Secretas durante a "Guerra Fria", hoje o mundo mudou, os dossiers elaboram-se no giro de poucos minutos, visto que o potenciais "pesquisados" oferecem de mãos beijadas todas as suas informações quando não ao Facebook, oferece-se ao Google. O potencial do Google nas mãos de "maus intencionados", teria todas as informações possíveis e até impensáveis. Cada um de nós tem um fascículo nas "Bases de Dados" do Google: vida, obra e milagres. Atenção!
Edward Snowden, o contractor americano, abriu o vaso da Pandora, confirmou ao mundo que as guerras são infinitas, reconfirmou a essência americana como "Warfare State", sublinhou que os interesses de certos Estados são mais importantes que as afirmações de "boa amizade e respeito entre povos". Quem não tem nada a esconder não deve ter medo, mas existem sempre projectos "patrióticos" que necessitam de tempo para a sua elaborações e desenvolvimento, eis portanto a necessidade de "defesa de certos dados", e de privacidade de certas comunicações institucionais. Os Sistemas externos que violam as comunicações institucionais constituem riscos para a boa convivência entre povos.

Na Europa somente a Alemanha alçou a voz e pediu, além das garantias, clareza dos métodos e dos fins de tais interceptações. Na América Latina, "quintal dos americanos" de kenediana memória, vários países reclamaram a abnorme violação das comunicações privadas e institucionais por parte da NSA/Governo dos Estados Unidos, mas o Brasil foi além: na pessoa de Dilma, condicionou novos acordos e uma delegação do Parlamento dirigir-se-há à Moscovo para encontrar Snowden.

O mundo está vivendo uma mudança epocal: o pôr-do-sol do Império americano, a crise infinita da Europa com a consequente desarticulação do Welfare State, a ascensão de novos actores globais. A novidade das novidades, o retorno da Rússia nas questões internacionais. Last but not least, a lenta ascensão da China como actor global de indiscutível poder condicionante: político, econômico e militar. O investimento na educação é a chave de tudo.

Por Francisco Pacavira | #angola2017

#angola #china #russia #brasil #usa #obama #secretas #nsa #snowden#uniaoafricana #sapoangola #opais #luanda #economiaafricana #cooperacão#economia #educação

quarta-feira, setembro 18, 2013

17 de Setembro de 2013 – Feriados nacionais e inúteis tolerâncias do ponto, por Francisco Pacavira

Agostinho Neto, guia imortal da nacao angolana

FERIADOS NACIONAIS E INÚTEIS TOLERÂNCIAS DO PONTO | Um dia após a celebração da "Jornada do Herói Nacional", podemos concluir que a tolerância do ponto é inútil, visto que os Funcionários da Função Pública e a maior parte dos "Privados" estão se marimbando.

A que serve parar os serviços públicos, se os funcionários não são orientados a participarem das festividades? O mesmo se diga sobre os privados: porque privar-lhes um dia de trabalho, de ganhos, se os trabalhadores não são "orientados" a informarem-se sobre a importância da data?

Restem os feriados, que se anulem as tolerâncias do ponto. E tem mais: urge um verdadeiro trabalho em prol da angolanidade, em prol do patriotismo, em prol do significado da expressão: EU SOU ANGOLANO.

Há que reflectir.
#ANGOLA #LUANDA #FERIADOS #HEROINACIONAL #AGOSTINHONETO #UNITA#MPLA #FNLA #PATRIA #ANGOLA2017

17 de Setembro 2013 – Agostinho Neto tem digno sucessor - Bornito de Sousa em Cabinda

Bornito de Sousa sublinhou que, daí para diante, José Eduardo dos Santos empenhou-se de imediato na conquista da paz em Angola e promoveu a reforma da economia do país, até então assente nos princípios do centralismo e da planificação vinculativa.
Discursando para centenas de pessoas no acto central do “Dia do Herói Nacional”, no pavilhão multiusos de Tafe, o ministro afirmou que o Presidente José Eduardo dos Santos impulsionou também a solidariedade com os povos da região, de que resultaram as independências do Zimbabwe e da Namíbia, o fim do regime do apartheid na África do Sul e a libertação de Nelson Mandela.
Bornito de Sousa acrescentou que o Presidente José Eduardo dos Santos promoveu igualmente a reconciliação nacional, a estabilidade política, a reconstrução das infra-estruturas básicas e o desenvolvimento económico de Angola.
“Aqui se enquadra um conjunto de iniciativas no sentido de desenvolver a província de Cabinda e melhorar a qualidade de vida da população”, disse o ministro, tendo enumerado a obra do porto de águas profundas do Buco Maze, a construção da central eléctrica de Malongo e de infra-estruturas integradas da cidade de Cabinda, entre outros empreendimentos.

17 de Setembro 2013 - Bornito de Sousa

Patriotismo de Neto

Sobre o Dia do Herói Nacional, Bornito de Sousa disse que António Agostinho Neto foi “um ilustre patriota e estadista africano condutor da luta armada de libertação nacional e se tornou primeiro Presidente de Angola, em 1975”. “Desde muito cedo António Agostinho Neto se entregou à causa da liberdade do seu povo e de todos os povos oprimidos do mundo”, ­acrescentou Bornito de Sousa. O ministro lembrou que o dia do Fundador da Nação e do Herói Nacional, comemorado ontem, foi instituído em 1980 pela então Assembleia do Povo, como reconhecimento dos seus feitos na condução da luta armada de libertação nacional e na corajosa proclamação da independência de Angola.
Bornito de Sousa referiu que o 17 de Setembro é “uma homenagem do povo angolano a todos os heróis da pátria que lutaram ou deram as suas vidas para hoje se viver numa sociedade independente e democrática”.

Palestra em Malange

A vida e obra do primeiro Presidente de Angola, António Agostinho Neto, foi enaltecida, na cidade de Malange, durante uma palestra com o tema “O papel de Neto na luta pela conquista da independência nacional”, no âmbito do Dia do Herói Nacional, celebrado ontem.
O director provincial da Educação, Ciência e Tecnologias, Gabriel Boaventura, disse que António Agostinho Neto “fortaleceu a unidade do Estado e da Nação”, e “defendeu o equilíbrio dos diferentes grupos e classes existentes no país” com vista à conquista da Independência Nacional. Na altura em que conhece as prisões, no Tarrafal, Cabo Verde, acrescentou o palestrante, Agostinho Neto já tinha iniciado, com os seus poemas, as acções de consciencialização do povo para a sua mobilização na luta contra o colonialismo.
Agostinho Neto nasceu na aldeia de Kaxicane, região de Catete, Icolo e Bengo, a 17 de Setembro de 1922, filho de Agostinho Neto, catequista da Missão americana em Luanda, mais tarde pastor e professor nos Dembos, e de Maria da Silva Neto, professora. Faleceu a 10 de Setembro de 1979, em Moscovo.

Percurso de Neto

A trajectória histórica da vida e obra do primeiro Presidente de Angola, Agostinho Neto, está patente numa exposição fotográfica inaugurada ontem, no Lubango, pela vice-governadora da Huíla para o Sector Político e Social, Maria João Tchipalavela. A exposição inclui fotografias de momentos ímpares da trajectória política, social, diplomática e familiar de Agostinho Neto e obras literárias da sua autoria para os estudantes, pesquisadores e interessados conhecerem mais sobre o estadista e líder angolano da luta contra o colonialismo.
Maria João Tchipalavela considerou que Agostinho Neto revelou capacidade de auto-renúncia para, num processo de altruísmo e amor, se afirmar como um dos ícones do movimento de libertação nacional em Angola, em África e no Mundo.
Lembrou que Agostinho Neto, como homem de cultura, político e humanista de renome internacional, dedicou a sua juventude à causa nobre dos angolanos, para retirar o povo da opressão e da exploração imposta pelo sistema colonial português.
“O dia 17 de Setembro passou a ser um dia de reflexão sobre a nossa conduta e contribuição para a superação dos actuais desafios. Devemos fazer uma avaliação individual e colectiva do nosso compromisso nas tarefas de construção e reconstrução do país”, disse. A vice-governadora defendeu maior participação dos cidadãos no processo de lançamento de alicerces fortes para a consolidação da angolanidade para o alcance da reconciliação nacional e garantia da integridade territorial de Cabinda ao Cunene.
“Inspirados nas ideias de Neto, devemos assumir o papel de continuadores e executores das suas ideias a fim de Angola ser um bom lugar para se viver. Encontrando-se o país num processo imparável de desenvolvimento em todos os domínios, Angola vai sempre ser a trincheira da revolução em África”, declarou Maria João Tchipalavela.
O acto central alusivo ao dia do Herói Nacional na Huíla teve lugar no município de Cacula, decorrendo sob lema “Honremos a ideias de Neto promovendo a coesão nacional para bem-estar dos angolanos”.

Homenagem aos heróis

A governadora da Lunda-Sul, Cândida Narciso, considerou necessário que os jovens dominem a História de Angola e homenageiem os heróis nacionais, a fim de garantirem o respeito e a promoção crescente da paz, coesão e unidade nacionais. Cândida Narciso, que falava em Saurimo numa palestra alusiva ao 17 de Setembro, Dia do Herói Nacional, incentivou a camada juvenil a apostar na investigação sobre a vida e obra de Agostinho Neto.
A governante fez uma síntese da biografia do Presidente Neto, ressaltando as etapas cruciais enfrentadas antes, durante e depois da luta de libertação nacional, que culminou com a proclamação da Independência, a 11 de Novembro de 1975.
Uma projecção de fotografias retratando António Agostinho Neto facilitou a compreensão dos participantes sobre as causas que ditaram o seu repetido encarceramento pelas autoridades coloniais. O compromisso do então distrito da Lunda em prol da liberdade e as motivações literárias de Neto foram assuntos focados pelos participantes no período reservado a perguntas e respostas.

Via|JA

Cooperação Angola China – Acordos de alto nível e solicitação de apoio para o Conselho de Segurança

O ministro das Relações Exteriores, Georges Chikoti, solicitou ontem à China apoio para a candidatura de Angola a membro não-permanente do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas para o período 2015-2016.

 Georges Chikoti na China 2013A China é um dos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança das Nações Unidas e a segunda economia do mundo, atrás dos Estados Unidos da América. Angola foi membro não-permanente do Conselho de Segurança da ONU no período de 2003-2004.
Georges Chikoti, que terminou ontem a visita de três dias à China, justificou a pretensão do país com a postura de defensor de uma diplomacia preventiva e proactiva, princípio clássico de manutenção de paz e segurança internacionais definido nas Cartas da Organização das Nações Unidas e da União Africana e por se ter tornado numa placa giratória da diplomacia em África.

Outro membro permanente, a Rússia, e Portugal, parceiro de Angola na CPLP, já manifestaram apoio à candidatura angolana. O apoio dos dois países vem juntar-se a intenção semelhante já manifestada pelos membros da SADC.

O Conselho de Segurança da ONU é composto por 15 membros, sendo cinco permanentes (China, Estados Unidos, França, Reino Unido e Rússia) com direito de veto, e dez não-permanentes e sem direito a veto, eleitos pela Assembleia-Geral para mandatos de dois anos. No primeiro dia da visita, Georges Chikoti encontou-se com o vice-primeiro-ministro da China, Wang Yang, para apresentação de cumprimentos e transmitir a mensagem verbal do Presidente José Eduardo dos Santos ao seu homólogo chinês Xi Jinping.

Extradição de presos

No final das conversações, os dois ministros assinaram o Certificado de Troca dos Instrumentos de Ratificação do Tratado de Extradição entre os dois países, assinado em Janeiro de 2006, para entrada em vigor. Na opinião dos dois ministros, a entrada em vigor do Tratado de Extradição vai enriquecer a relação de amizade e de cooperação entre Angola e a China, além de combater os crimes transnacionais. A Assembleia Nacional de Angola aprovou, em 2011, o acordo que facilita a entrega recíproca de pessoas procuradas para processo judicial ou para cumprimento de pena nos dois países. O acordo tem em consideração a cooperação com a China em vários domínios e o movimento migratório considerável, com o envio de numerosos cidadãos chineses que contribuem para o processo de reconstrução nacional.

Bolsas para angolanos

A China decidiu aumentar o número de bolsas de estudo concedidas anualmente para estudantes angolanos, respondendo a uma solicitação do Executivo angolano, para permitir a formação de mais quadros nas instituições de ensino superior daquele país. O anúncio foi feito pelo ministro dos Negócios Estrangeiros da China na abertura das conversações oficiais. O governo chinês concede, anualmente, 160 bolsas de estudo a estudantes angolanos, no quadro das relações de cooperação e solidariedade social. Wanga Yi manifestou total disponibilidade para continuar a aprofundar as relações com Angola.
Georges Chikoti afirmou que a cooperação no domínio económico e financeiro, desde 2002, tem conhecido resultados “francamente positivos” e contribuiu para a reconstrução e o desenvolvimento do país. “A China é um parceiro estratégico e privilegiado de Angola”, disse o ministro, acrescentando que as trocas comerciais entre os dois países cresceram 42 por cento, entre 2011 e 2012, atingindo os 37,5 mil milhões de dólares, contra 1,8 mil milhões de dólares em 2002.

Georges Chikoti realçou que os acordos existentes demonstram uma trajectória de aproximação e crescente interdependência económica entre os dois países. “Angola tornou-se num dos principais parceiros comerciais da China em África, com um mercado em expansão na perspectiva bilateral e multilateral, na cooperação China-África”, frisou.
O ministro referiu que a parceria estratégica entre a China e Angola impulsionou as relações de cooperação bilateral, marcadas pela presença, em Angola, de várias empresas chinesas a investirem em projectos de reconstrução e de desenvolvimento, sobretudo no sector da construção de edifícios, estradas, escolas, instalação de pequenas indústrias e noutros sectores sociais e económicos.

Via| JA

ESPIONAGEM - Internautas alemães elogiam Dilma por cancelar viagem aos EUA e criticam Merkel

chanceler alemã Angela Merkel (e) e DilmaA chanceler alemã Angela Merkel (e) e Dilma durante visita da presidente brasileira a Hannover, em 2012

Anunciado às vésperas da eleição na Alemanha, o cancelamento da viagem da presidente Dilma Rousseff aos Estados Unidos, prevista para outubro, gerou manifestações de apoio dos internautas alemães nesta terça-feira (17/09) e acabou sendo comparado por eles à reação de líderes alemães às denúncias de espionagem da agência americana NSA.

A notícia foi muito comentada nos sites Tagesschau.de (de um dos principais telejornais do país) e Zeit.de (maior jornal semanal alemão). A maioria dos internautas elogiou a posição de Dilma e disse esperar postura semelhante da chanceler federal Angela Merkel.

No site do Tagesschau, um usuário escreveu: "Esta é a melhor reação". Outro escreveu, em português, "muito obrigado". "Merkel, Pofalla [chefe de gabinete da chanceler] e Friedrich [ministro do Interior] poderiam/deveriam aprender com a senhora Rousseff", afirmou outro.

Um usuário especulou que Merkel também pode ter sido espionada. "Ela iria exigir uma desculpa de Obama e adiar por tempo indeterminado uma viagem a Washington, até que tudo estivesse perfeitamente investigado e esclarecido? Inimaginável", lamentou.

No site do Die Zeit, um usuário disse esperar em vão reação semelhante da Alemanha. Outro criticou o comportamente "vergonhoso" dos políticos europeus, que tentam "minimizar o escândalo".

Alguns usuários também criticaram o fato de a imprensa alemã, de um modo geral, ter dado pouco destaque à notícia sobre a presidente brasileira.

As denúncias feitas pelo ex-colaborador da NSA Edward Snowden também envolveram a Alemanha, que teria sido alvo da espionagem dos EUA. As denúncias geraram indignação entre a opinião pública alemã e motivaram uma viagem do ministro do Interior, Hans-Peter Friedrich, aos Estados Unidos. Mais tarde, ele declarou num debate na televisão que os Estados Unidos não espionam a Alemanha.

Via|DW

segunda-feira, setembro 16, 2013

FINALMENTE | Um milhão de angolanos usam internet - Pedro Sebastião Teta

CRESCE NUMERO DE ANGOLANOS NA INTERNET

Angola soma já um milhão de utilizadores de internet, avançou ao SOL o secretário de Estado das Tecnologias de Informação, Pedro Sebastião Teta.

Sublinhando que hoje “qualquer utilizador de telemóvel pode aceder à internet”, o responsável referiu que a evolução no uso das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) nos últimos anos levou a uma sociedade mais ligada às redes sociais e com acesso ao 3G.

Nesse sentido, a construção de mediatecas – 25 nos próximos seis anos – funciona como um processo de inclusão: quem não tem telemóvel ou computador pode usar as TIC gratuitamente.

Projecto pioneiro

“Somos pioneiros na criação de mediatecas no continente”, afirma o secretário de Estado, acrescentando que seis já foram construídas nas províncias de Luanda, Benguela, Huíla, Zaire, Huambo e Lunda-Sul – as duas últimas estão por inaugurar – e que “cerca de 60% dos livros das mediatecas estão em formato digital”.

Cada centro e respectivo apetrechamento implica um custo de “sete a oito milhões de dólares”. Inserido no Programa de Investimentos Públicos e no Plano Nacional de Desenvolvimento 2013-2017, o projecto das mediatecas, a funcionar há um ano, regista “uma adesão muito boa”, justificada por Pedro Sebastião Teta com os “60 mil utentes, entre permanentes e ocasionais”.

O próximo passo, adianta o responsável, é educar a população – “porque este consumo tem os seus perigos”. O secretário de Estado das Tecnologias de Informação alerta para o facto de a internet, além de ser uma ferramenta de trabalho e comunicação, poder ser “um instrumento para caluniar e denegrir terceiros”.

É preciso legislar

Para evitar abusos online, o Executivo está a trabalhar numa nova legislação de regulação.

O governante recorda que a lei já esteve na Assembleia Nacional – mas não foi aprovada por se ter entendido que poderia violar os direitos dos utilizadores. “Hoje a sociedade entende que sem legislação estamos pior. Mesmo os crimes a nível do sistema financeiro, por exemplo, não têm uma moldura penal específica”, considera.

Em 2014, Pedro Sebastião Teta espera que entre em vigor a lei da criminalidade informática. Isso representaria, ao nível da SADC (Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral), a uniformização dos Estados que pertencem a este bloco económico e político: “Todos os países da SADC têm leis que penalizam os crimes cibernéticos e informáticos”, reforça.

Na próxima década, defende, o país vai colher os frutos dos investimentos nas TIC – 10 mil quilómetros de fibra óptica, satélite e fibras submarinas. “Os custos das comunicações vão baixar, haverá mais competição no mercado e não estaremos fora do contexto da evolução tecnológica dos outros países do mundo”, prevê o responsável angolano.

Via|Agencia –> Siga-nos

Cooperação Militar Angola-África do Sul: Delegação sul-africana visita o país para reforço das relações

Cooperação Militar Angola-África do SulLuanda - Uma delegação militar sul-africana, chefiada pelo tenente-general Vusi Masondo, chegou domingo (15) a Luanda, para efectuar uma vista oficial de quatro dias ao país, destinada ao reforço da cooperação bilateral.

Segundo o responsável militar, em declarações à Angop, no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, a missão, a decorrer de 15 a 19 de Setembro, visa identificar com as autoridades locais as possíveis novas áreas para cooperação, assim como incrementar a colaboração nos domínios bilaterais de entendimento já existentes.

O tenente-general Vusi Masondo recordou ainda que as relações entre as forças militares de Angola e da África do Sul "provêm desde a época das nossas lutas de libertação e, agora que estamos livres, importa elevar e incrementar a nossa cooperação também na área militar, para além do sector económico", acrescentou.

"A região da SADC não deve apenas desenvolver a sua cooperação no domínio económico; e é isto que temos vindo a fazer, disse, e ao criarmos a Brigada Especial de Alerta da SADC, o seu funcionamento activo só acontecerá se haver uma cooperação efectiva entre as forças armadas de Angola e da África do Sul", acrescentou.

A respeito, deu a conhecer que, no âmbito da permanente cooperação, a África do Sul acolheu, em 2009, um exercício militar conjunto da região, que contou com a presença de Angola, e, na altura, as duas partes ajustaram alguns aspectos menos certos no funcionamento da "Brigada Especial de Alerta" da região da África Austral.

O tenente-general Vusi Masondo foi recebido no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro pelo general do exército nacional Marques Correia Banza, acompanhado de altos oficiais superiores das Forças Armadas Angolanas (FAA) e membros da missão diplomática sul-africana acreditados no país.

Durante a visita, a delegação sul-africana vai reunir-se com responsáveis do Ministério da Defesa Nacional e do Estado Maior General do Exército, viajará às províncias de Benguela e Huambo, onde vão visitar a Academia Militar, o Centro de Instrução do Lobito e algumas unidades militares, respectivamente, estando ainda previsto visitas ao Museu das Forças Armadas e a Unidade de Forças Especiais das FAA, em Luanda.

Angola e a África do Sul mantêm excelentes relações de cooperação em vários domínios, quer no quadro bilateral, como no da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), envolvendo, sobretudo, as áreas militares, político - diplomática, comércio, saúde, educação, transportes, turismo, agricultura, desporto, pesca, ciências e tecnologias, entre outros sectores com menos impacto.

Via|Angop/Agências

Área Transfronteiriça - Projeto africano “KAZA” considerado exemplo de sucesso

Fórum Económico da província do Kuando KubangoO projecto KAZA - Área Transfronteiriça Okavango-Zambeze, partilhado por Angola, Namíbia, Zâmbia, Zimbabué e Botsuana, foi considerado no primeiro Fórum Económico da província do Kuando Kubango, um "exemplo prático de crescimento exponencial na região da África Austral".

O referido projeto foi um dos temas de destaque abordados no encontro, que reuniu em Menongue, capital do Kuando Kubango, durante dois dias dirigentes governamentais e empresários nacionais e estrangeiros.

Este projecto, que estabelece uma área transfronteiriça de conservação e um destino para a prática de ecoturismo internacional nas regiões da bacia hidrográfica dos rios Okavango e Zambeze, tem como objetivo a conservação da biodiversidade e a partilha de benefícios provenientes dos recursos naturais, desenvolvimento sustentável das comunidades locais e do turismo ecológico.

Entre os esforços para a execução deste projeto, os promotores apontam agora a intenção da criação do visto KAZA para a circulação de turistas naquele corredor turístico, a redução dos preços das diárias de hotéis, bem como a execução de políticas de incentivo aos investigadores do ramo.

Um fundo de 30 milhões de kuanzas (cerca de 230 mil euros) foi aprovado no início de agosto deste ano pelos cinco países envolvidos no projecto, para gestão da maior área transfronteiriça de conservação do mundo.

O referido fundo serve apenas para o funcionamento do secretariado do KAZA, acrónimo da língua inglesa para designar a bacia do Okavango/Zambeze.

Paralelamente, existe ainda um fundo global de 12 milhões de euros provenientes de contribuições de países doadores, que foi distribuído aos cinco Estados membros.

Via|OJE/Lusa

sábado, setembro 14, 2013

Discurso do PR José Eduardo dos Santos no Fórum Nacional da Juventude 13/09/2013

Jose Eduardo dos Santos

Senhor Vice-Presidente,

Senhores Ministros,

Senhores Deputados,

Distintos convidados,

Minhas Senhoras e meus Senhores,

Caros Jovens,

Os nossos trabalhos estão a chegar ao fim.

O Fórum Nacional da Juventude convidou-me para fazer o discurso de encerramento, e devo ver assim uma tarefa difícil.

No período de auscultação e diálogo falaram mais de mil sobre os problemas da juventude angolana. Aqui mesmo nesta sala já foram feitas mais de 20 intervenções sobre este tema.

Aparentemente tudo já foi dito, e quem fala no fim, corre o risco de repetir o que os outros já disseram.

Mas eu não tenho saída. Eu vou arriscar-me a falar mesmo assim. Porque diz-se que a água mole tanto dá em pedra dura até que fura.

Como sabem, desde os primeiros momentos da luta de libertação, o MPLA apresentou-se como mensageiro da esperança, porque os angolanos são pessoas de fé e de esperança. Nunca desiste no seu sonho de liberdade e prosperidade.

Estamos aqui a dialogar e a discutir porque todos nós vamos em busca dos caminhos da prosperidade. Tenho fé e confiança nas nossas forças e vamos alcançar estes objectivos.

Distintos participantes,

Caros jovens,

A realização deste Fórum Nacional da Juventude é a última etapa do processo de auscultação e diálogo com todos os jovens ou seus representantes que começámos há dois meses atrás.

É uma experiência muito rica e construtiva e de participação cívica da juventude na resolução dos problemas nacionais. Cada um exprimiu livre e democraticamente o seu pensamento. Uns formularam críticas, outros analisaram a realidade e os factos e apresentaram sugestões e propostas para melhorar o nosso trabalho.

A juventude angolana transmitiu-nos uma mensagem muito clara de que está unidade e provou que sabe o que quer e para onde vai.

Os jovens que estão presentes hoje nesta sala, em número significativo, vieram de todas as províncias do país e não poucos são provenientes da nossa diáspora, representando assim a heróica juventude angolana.

É uma juventude cujo passado nos enche de orgulho e que está determinada na luta para vencer os desafios do presente e do futuro.

Eu também já fui jovem e já vivi momentos de grande exaltação patriótica como este. Peço-vos que continuem assim. O Governo estará sempre convosco para que conjugando os esforços possamos trabalhar para construir uma Angola melhor, para garantir uma melhor qualidade de vida para o nosso povo.

Dirijo uma palavra de apreço e reconhecimento a todos os que participaram nos encontros municipais e provinciais, onde foi evidente o entusiasmo, a criatividade, o patriotismo e o sentido do dever que facilitaram a elaboração das conclusões e recomendações que foram apresentadas hoje neste Fórum.

Retivemos dessas conclusões que o emprego e a formação profissional são os assuntos que mais preocupam os jovens.

Estes assuntos são considerados prioritários na agenda de trabalho do nosso Governo e que, por essa razão, compromete-se aqui a criar mais Centros de Formação Profissional em todo o país, durante este mandato e vai também criar condições para aumentar o investimento público em infra-estruturas e o investimento privado nos sectores produtivo e da prestação de serviços por forma a criar cada vez mais postos de trabalho.

Por outro lado, as entidades competentes já foram orientadas no sentido de fiscalizar com mais rigor a aplicação das normas da Lei Geral do Trabalho que protegem o emprego dos cidadãos nacionais, sem esquecer as normas legais que garantem o acesso ao primeiro emprego.

Não é justo que as empresas nacionais ou estrangeiras prefiram dar emprego aos cidadãos estrangeiros no nosso país para realizarem trabalhos que os angolanos podem fazer e as vezes apenas mediante alguns cursos de formação profissional.

Os quadros recém-formados também não se pode exigir experiência profissional como condição para o primeiro emprego. Tem de ser garantidas as condições de estágio para que esses quadros recém-formados possam ter imediatamente acesso ao primeiro emprego.

Hoje, cerca de dois terços da nossa população tem menos de 25 anos de idade e estamos conscientes de que esta é a nossa principal riqueza que temos de saber mobilizar, gerando empregos e qualificando muitos milhões de jovens angolanos para fazer o país crescer cada vez mais e desenvolver-se.

A juventude é, sem dúvida, o maior factor de desenvolvimento do País e temos de saber inseri-la no processo de transformações económicas e sociais em curso para melhorar a sua qualidade de vida e garantir também o futuro das gerações vindouras.

Caros participantes,

Caros jovens,

Tomamos boa nota das outras preocupações, tais como o acesso à habitação, a melhoria da qualidade do ensino, a necessidade do aumento da oferta dos cursos de formação superior e o aumento do número de bolsas de estudo internas e externas, o acesso à água potável e a energia eléctrica e etc.

A minha intenção é recomendar ao Governo a aprovação de Programas Municipais, Provinciais de apoio à juventude desdobrados de um Programa Nacional que tenha em conta as conclusões e propostas deste Fórum.

A execução destes programas deverá ser acompanhada e fiscalizada nos diferentes escalões por representantes do Conselho Nacional da Juventude.

Caros jovens,

Distintos participantes,

O Fórum Nacional da Juventude foi mais um passo na direcção certa.

Todavia, acho que podemos melhorar as formas de participação activa da juventude e das suas organizações da sociedade civil, com o surgimento e desenvolvimento do associativismo juvenil em diferentes actividades;

- Com o estabelecimento de formas saudáveis e socialmente estimulantes de ocupação dos tempos livres da juventude;

- Com o diálogo salutar e profícuo entre a população jovem e a Comunidade;

- Com a promoção de valores, princípios e atitudes alinhados em cada momento com as políticas públicas para a juventude e para a promoção da mulher;

- Com a promoção da consciência cívica, do patriotismo e da cidadania activa no seio da juventude;

- Com a promoção da construção de infra-estruturas de apoio às actividades juvenis;

- Com a promoção do intercâmbio juvenil e o estímulo da troca de experiências entre os jovens de várias proveniências e culturas regionais;

- Com a democratização do acesso a novas tecnologias de informação e de comunicação e o combate à info - exclusão;

- Com a promoção e valorização de iniciativas dos jovens empresários, cientistas, investigadores, inventores e artistas, entre outros.

Caros jovens,

Distintos participantes,

Obrigado por terem organizado este memorável encontro e pela vossa dedicação e entusiasmo juvenil.

Eu saúdo e agradeço, em particular, aqueles que em nome da juventude se tornaram intérpretes dos sentimentos e das preocupações de todos.

Uma saudação especial também para os jovens da diáspora que connosco partilharam a reflexão sobre os caminhos a seguir para resolvermos os problemas nacionais.

Chegamos mesmo ao fim do nosso Fórum. Foi um momento de grande exaltação patriótica.

À todos o meu muito obrigado!

Declaro encerrado este Fórum.

Viva a Juventude angolana.

Siga-nos | https://www.facebook.com/angolaxyami24horas

sexta-feira, setembro 13, 2013

COMISSÃO ECONÓMICA DO CONSELHO DE MINISTROS: Exploração e Comercialização de Ouro na Província de Cabinda

COMISSÃO ECONÓMICA DO CONSELHO DE MINISTROS

COMUNICADO DE IMPRENSA

Angola hoj

A Comissão Económica realizou hoje, dia 12 de Setembro de 2013, na Sala de Reuniões do Palácio Presidencial, na Cidade Alta, a sua 8ª Sessão Ordinária, sob orientação do Presidente da República, José Eduardo dos Santos.

A Comissão Económica apreciou a Proposta de Estratégia para Exploração e Comercialização de Ouro na Província de Cabinda, que tem por objectivo regularizar a actividade de exploração artesanal do ouro bem como a sua comercialização e também criar as condições para o levantamento do potencial geológico da região.

Por essa razão, o documento aborda a problemática do garimpo e da comercialização ilegal de ouro da região, assim como a legalidade dos direitos mineiros outorgados a empresas e consórcios para a prospecção deste mineral, considerado pela legislação mineira de Angola como um mineral estratégico.

A Comissão Económica foi ainda informada sobre os Projectos de Decreto Presidencial que aprovam as Bases Gerais das Concessões de Exploração de Serviços de Transportes Ferroviários de Passageiros e Mercadorias e o Regulamento Geral dos Transportes Ferroviários de Passageiros de Passageiros, Bagagens e Tarifas.

A Comissão Económica apreciou o Estudo Preliminar sobre a Aplicação de um Sistema de Quotas de Importação para Proteger a Produção Nacional que contém as bases de reflexão para a criação de um mecanismo de regulação das importações, através da estipulação de quotas e outros meios, em linha com as práticas internacionais.

A Comissão Económica apreciou as propostas do Ministério do Comércio que prevêm a criação da Agência Angolana Reguladora de Produtos Alimentares e Farmacêuticos (ARPAF), e a constituição de um Laboratório Nacional de referência de controlo da qualidade de produtos alimentares, bens de consumo e farmacêuticos de Angola (LABANGOL-EP).

O LABANGOL será uma empresa pública, capaz de operacionalizar os objectivos da ARPAF, garantindo um serviço de excelência laboratorial na especialidade alimentar e farmacêutica.

A Comissão Económica tomou conhecimento do Relatório da Participação de Angola nas 48ªs Reuniões Anuais do Grupo do Banco Africano de Desenvolvimento, realizado entre 27 a 31 de Maio do corrente ano em Marraquexe, Reino de Marrocos, tendo aprovado a proposta de participação de Angola no 13º terceiro Fundo de Apoio ao Desenvolvimento do BAD.

Finalmente, a Comissão Económica apreciou o Memorando sobre a Edição e Divulgação dos Documentos Fundamentais do Governo, na sequência da recomendação do Conselho de Ministros saída da sessão do dia 29 de Maio de 2013, tendo aprovado o Orçamento das acções a desenvolver no ano 2014.

Secretariado da Comissão Económica, em Luanda, aos 12 de Setembro de 2013.

quinta-feira, setembro 12, 2013

SALVADOR ALLENDE | SOBRE "UMA REVOLUÇÃO CULTURAL ANGOLANA", por Francisco Pacavira

quarta-feira, setembro 11, 2013

A GUERRA E A ECONOMIA CONTINUAM SENDO O MOTOR DA HISTÓRIA

terça-feira, setembro 10, 2013

Abraão Gourgel.: “Angola está a criar condições para um desenvolvimento bem sucedido” - Ministro da Economia

Angola tem assegurado os pressupostos para um desenvolvimento bem sucedido, consubstanciados na estabilidade macroeconómica, disse recentemente em Luanda o ministro da Economia, Abraão Gourgel.

Para o ministro, que falava na abertura do Fórum de Negócios Rússia-Angola, a estabilidade macroeconómica e financeira foi obtida com a disciplina orçamental e o aumento das receitas públicas, facto que permite ao governo executar o Orçamento Geral do Estado com saldos globais positivos e total controlo da trajectória da dívida pública, agora inferior a 30% do PIB.
Afirmou que a disciplina fiscal, associada a uma política monetária de estabilidade, permitiu também, através do controlo da procura global, reduzir a inflação anual de forma consistente, desde 2002 (quando ainda era superior a 100%), para menos de 10% em 2012, sem sacrifício do crescimento, visto que sempre ficou salvaguardada a liquidez necessária as transacções na economia real.

Segundo Abraão Gourgel, com a superação das dificuldades decorrentes da crise mundial de 2008, foi possível voltar a assegurar a estabilidade cambial, sendo que a taxa de câmbio da moeda nacional em relação ao dólar tem-se mantido abaixo de 100 kwanzas desde 2010, antes dos efeitos da crise.

Disse que com a eclosão da crise financeira em 2008 e suas consequências para o comércio e as finanças internacionais, o crescimento abrandou para níveis próximos de 3%, entre 2009-2011, mas aumentou para 6,8% em 2012.

“Este ano gostaríamos de crescer a níveis superiores aos do ano transacto, dependendo do desempenho do sector petrolífero, visto que o sector não-petrolífero deverá apresentar um crescimento superior a 9 %”, frisou.

O ministro disse ainda ter sido possível recuperar o nível das reservas internacionais líquidas, que subiram 12 mil milhões de dólares ao final de 2009, no auge da crise mundial, para mais de 35 mil milhões de dólares, actualmente, montante que representa mais de 8 meses de importações e cerca de 30% do PIB.

De acordo com o ministro, os resultados da gestão bem sucedida da macroeconomia angolana, nomeadamente na superação dos impactos da crise mundial, foram publicamente reconhecidos pelas organizações internacionais, especialmente o FMI, após o cumprimento integral do acordo de “stand-by”, iniciado em Novembro de 2009 e encerrado em Março de 2012.

“Este reconhecimento também foi feito pelo Banco Mundial e pelas três principais agências de notação de risco, que atribuíram a Angola a notação de B”, disse.

Destacou o maior dinamismo do sector da agricultura, indústria, cujas taxas de crescimento em 2011 foram de 11,4%, 4%, e 12,3% respectivamente, “resultados que são fruto da estratégia de diversificação da estrutura produtiva no sentido da libertação da dependência ao sector petrolífero.

Por último, o ministro salientou que entre 2002, final da guerra civil, e 2008 a média de crescimento do PIB de Angola foi de 17% ao ano.

| Fonte: macauhub

terça-feira, setembro 03, 2013

Beijing: No excuse for strikes in Syria

Estamos seguindo o desenrolar-se da crise siriana e cada dia que passa cresce em nós a viva convicção do NÃO A ESTA GUERRA. O presente editorial, do China Daily, representa a opinião forma do Governo chinês sobre a guerra em Síria. Boa leitura! 

CHINA - a guerra em Siria

As the United States and its Western allies have made it clear they believe the Syrian government used chemical weapons on the outskirts of Damascus, there is growing speculation that the US might soon launch military action against Syria.

However, without a solid legal basis, any military intervention into Syria would have dire consequences for regional security and violate the norms governing international relations.
By putting the blame on the government before the UN chemical weapons inspectors complete their independent investigations and reach an authentic and credible conclusion, they are acting as judge, jury and executioner. Military strikes by foreign powers will only exacerbate the crisis and could have unforeseen and unwelcome consequences.

Even those who are no fans of the Bashar al-Assad regime must question why the regime would use chemical weapons as government forces have just won the upper hand in the fight against the opposition, and it is clear such a move would be tantamount to suicide.
The international community should exercise patience instead of allowing itself to be led by the nose by US intelligence, which after all was responsible for claiming Saddam Hussein had weapons of mass destruction.

Military action without a UN mandate will further aggravate the situation in Syria and do a disservice to regional peace and stability. Turning Syria into another Libya or even Iraq is the last thing most people around the world want to see.

Ten years ago, the US and its allies sidestepped the UN and orchestrated a forceful regime change in Iraq with the pretext the regime possessed weapons of mass destruction, this should not be allowed to happen again.

Since the Syria crisis erupted two years ago, the US-led West has been maneuvering for a regime change in the country, by hook or by crook. It seems they have a growing interest in implementing the Kosovo model right now.

The maneuvering of Western countries has not only fueled the violence in Syria, it has also sowed the seeds of discord among members of the international community and added to the difficulties confronting those who are making efforts to defuse the crisis peacefully.

Before the crisis takes a turn from bad to worse, it is high time the US learned from its past mistakes and reins in its wild ideas of military intervention in yet another country.

This article originally appeared in the China Daily.

domingo, setembro 01, 2013

AFROBASKET | Angola soma e segue, agora já comandamos a classifica dos vencedores.

BASQUETEBOL - CAMPEÕES AFRICANOS
ANO- ANFITRIÃO-CAMPEÃO
1962-Egipto------Egipto
1964-Marrocos--Egipto
1965-Tunísia----Marrocos
1968-Marrocos-Senegal
1970-Egipto------Egipto
1971-Senegal--Senegal
1974-RCA--------RCA
1975-Egipto-----Egipto
1977-Senegal---Senegal
1980-Marrocos--Senegal
1981-Somália---Cote DIvoire
1983-Egipto---Egipto
1985-Cote DIvoire- Cote DIvoire
1987-Tunisia---RCA
1989-Angola---Angola
1991-Egipto---Angola
1993-Quénia---Angola
1995-Argélia---Angola
1997-Senegal---Senegal
1999-Angola---Angola
2001-Marrocos---Angola
2003-Egipto---Angola
2005-Argélia---Angola
2007-Angola---Angola
2009 – Líbia ---Angola
2011 - Madagáscar---Tunísia
2013 - Cote d'Ivoire---Angola

sexta-feira, agosto 30, 2013

SÍRIA 2013 | O cenário de uma catástrofe sem precedentes, por Francisco Pacavira

GUERRA EM SIRIA - Quem ganha e quem perde

SÍRIA 30.08.2013 | Politicamente, Bashar al-Assad, já venceu a guerra. Os ingleses "fugiram", felizmente o Parlamento da Rainha ainda tem um significativo peso em questões de política externa; pela primeira vez alguns políticos europeus ADMITEM o risco da deflagração de uma Guerra Mundial, portanto, pedem maior ponderação; somente 40% dos cidadãos americanos é favorável a uma intervenção militar. Nas últimas horas, muitos americanos começaram a questionar a classe política: com tantos problemas que temos por resolver, por quais razões devemos embarcar numa nova guerra?

Militarmente, ninguém vencerá este conflito. Analisando o actual xadrez religioso, político-militar do Médio Oriente, conclui-se que os riscos são maiores do que os benefícios. As consequências tornam-se imprevisíveis, quando a intervir resta somente os USA e a França, violando todas as convenções de política internacional. A França tem grandes interesses neste conflito, deseja antes de tudo voltar a dominar a sua zona de influência. Para entender o comportamento de François Holland, leiam mais sobre os "Tratado de Sèvres". É o caso de afirmar: "O lobo perde o pelo, mas não perde o vício".

Após este episódio: o que resta do mito de Barack Obama? Sinceramente continuamos a esperar mais e mais. Todavia, a forçada intervenção e "somalização" da Líbia não podia ser mais clara: os presidentes americanos obedecem interesses a desconhecidos aos mortais comuns. Mas, mas, a esperança continua sendo a última a morrer.

Sobre a perigosa intervenção militar, mesmo que forçada, sem provas convincentes - a dita Smoking Gun" -, solitária e/o unilateral, violando as leis internacionais, tudo continua em aberto. Os USA têm agora uma cara por lavar: trata-se do orgulho nacional. Mas podemos trocar milhares de vidas humanas pelo orgulho nacional?

Que o Senhor ilumine os "astros" da diplomacia!

VIA | #fpb aka #angola2017-

#siria #otan #russia #africa #ue #onu #opais #nyt #wp #syria #onu #nu #military#europa #uk #france #holland

Conselho de Ministros Agosto 2013 – Eis os nomes do novo Conselho de Administração da SONANGOL-EP

SECRETARIADO DO CONSELHO DE MINISTROS

COMUNICADO DE IMPRENSA

O Conselho de Ministros realizou hoje, dia 29 de Agosto de 2013, a sua 5ª Sessão Ordinária, na Sala de Reuniões do Palácio Presidencial, na Cidade Alta, sob orientação do Presidente da República, José Eduardo dos Santos.

Nesta sessão, o Conselho de Ministros aprovou o Relatório de Balanço da Actividade do Governo referente ao II Trimestre de 2013, como instrumento de avaliação do nível de execução das principais acções projectadas pelo Governo para o período em análise.

Relativamente ao comportamento da economia, a inflação acumulada até Junho foi de 4,27%, houve uma expansão 2,90% no crédito à economia, a base monetária em moeda nacional aumentou em cerca de 5,60% no Il trimestre e a produção de petróleo atingiu os 160,1 milhões de barris, no mesmo período.

O Conselho de Ministros aprovou um Decreto Presidencial que prorroga a vigência do Decreto nº 6/08, de 10 de Abril, diploma legal que tem por objectivo permitir o ingresso na função pública a cidadãos com mais de 35 anos de idade, que tenham reconhecida competência técnica e experiência profissional susceptível de reforçar a capacidade instirucional do sector público administrativo, de modo a que possam ser engajados no processo de reconstrução nacional.

Na sequência dos trabalhos em curso com vista à adequação da organização e do funcionamento dos Departamentos Ministeriais à legislação em vigor, o Conselho de Ministros aprovou os Estatutos Orgânicos dos Ministérios das Relações Exteriores e da Saúde. Foram igualmente aprovados os Estatutos Orgânicos da Inspecção Geral da Administração do Estado e do Instituto de Formação da Administração Local (IFAL).

Durante a sessão, o Conselho de Ministros aprovou um Decreto Presidencial que regula a actividade de inspecção, auditoria e fiscalização dos órgãos e serviços da Administração Directa e Indirecta do Estado, assim como das administrações autónomas.

O referido diploma aplica-se à Inspecção Geral da Administração do Estado e aos demais serviços de inspecção-geral Departamentos Ministeriais ou nas instituições públicas com autonomia administrativa, técnica e financeira.

Com a finalidade de se reforçar as medidas e normas regulamentares que garantam uma maior disciplina e segurança no trânsito automóvel, bem como a observância das regras estabeleci das no Código de Estrada, o Conselho de Ministros aprovou um Regulamento sobre as características, transformação, peso e dimensões, luzes e emissão de gases de escape de veículos automóveis, reboques e semi-reboques.

Na sessão de hoje, o Conselho de Ministros criou ainda a Agência Reguladora do Mercado do Ouro, uma pessoa colectiva de direito público, dotada de personalidade jurídica e de autonomia administrativa e financeira, que tem como objectivo principal a organização, regulação e fiscalização do mercado do ouro e a emissão de certificados de origem para o ouro de produção nacional.

O Conselho de Ministros aprovou o Programa de Modernização do Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica (INAMET) e de Operacionalização do seu respectivo Plano de Desenvolvimento Estratégico para o período de 2012 a 2018.

O referido Programa prevê dotar o INAMET de capacidade para realizar pesquisa e investigação aplicada que permita apoiar o desenvolvimento rural, as acções no domínio da segurança alimentar e a implementação dos programas que visem a redução do risco de catástrofes naturais e dos impactos das alterações climáticas.

No âmbito das acções em curso para a contínua modernização dos serviços da Administração Pública, o Conselho de Ministros tomou conhecimento do estado de implementação do Plano de Desenvolvimento do Projecto de Governação Electrónica.

Durante o evento e no quadro das iniciativas de fomento cultural do Executivo, o Conselho de Ministros aprovou um Decreto Presidencial que institui as Bolsas de Criação Artística e Cultural e aprova o seu respectivo Regulamento de Concessão.

As Bolsas de Criação constituem um incentivo à criação e à investigação, concedido pelo Estado Angolano aos cidadãos nacionais, autores, criadores e investigadores, residentes ou não no País, cujo projecto de produção artística, cultural, científica ou tecnológica tenha origem ou se venha a aplicar em Angola.

As Bolsas serão concedidas pelo período de um ano, podendo este prazo ser prorrogado.

No domínio da política externa, o Conselho de Ministros apreciou três diplomas legais que aprovam os Acordos da República de Angola com a República da Itália, em matéria de Segurança e Ordem Pública; com o Conselho Federal Suíço, sobre a Supressão Recíproca de Vistos para Titulares de Passaportes Diplomático e de Serviço e com a República da Argentina, no domínio do Ensino Superior.

O Conselho de Ministros aprovou ainda o Protocolo sobre a Protecção e Assistência a Pessoas Deslocadas Internamente da Região dos Grandes Lagos.

Finalmente, o Conselho de Ministros aprovou a reestruturação do Conselho de Administração da SONANGOL-EP, que passa a ter a seguinte composição:

-Francisco de Lemos José Maria - Presidente do Conselho de Administração;

-Anabela Soares de Brito da Fonseca - Administradora;

-Ana Joaquina Van-Dúnem Alves da Costa - Administradora;

- Fernandes Gaspar Bernardo Mateus -Administrador;

- Fernando Joaquim Roberto - Administrador;

- Mateus Sebastião Francisco Neto - Administrador;

- Paulino Fernando Carvalho Gerónimo - Administrador.

Secretariado do Conselho de Ministros, em Luanda, aos 29 de Agosto de 2013.

NAMORO, por VIRIATO DA CRUZ

NAMORO

O namoro - Viriato da Cruz

Mandei-lhe uma carta em papel perfumado
e com a letra bonita eu disse ela tinha
um sorrir luminoso tão quente e gaiato
como o sol de Novembro brincando de artista nas acácias floridas
espalhando diamantes na fímbria do mare dando calor ao sumo das mangas.
sua pele macia - era sumaúma...
Sua pele macia, da cor do jambo, cheirando a rosas
tão rijo e tão doce - como o maboque...
Seu seios laranjas - laranjas do Loge
seus dentes... - marfim...
Mandei-lhe uma carta
e ela disse que não.

Mandei-lhe um cartão
que o Maninjo tipografou:
"Por ti sofre o meu coração"
Num canto - SIM, noutro canto - NÃO
E ela o canto do NÃO dobrou.

Mandei-lhe um recado pela Zefa do Sete
pedindo rogando de joelhos no chão
pela Senhora do Cabo, pela Santa Ifigénia,
me desse a ventura do seu namoro...
E ela disse que não.

Levei à avó Chica, quimbanda de fama
a areia da marca que o seu pé deixou
para que fizesse um feitiço forte e seguro
que nela nascesse um amor como o meu...
E o feitiço falhou.

Esperei-a de tarde, à porta da fábrica,
ofertei-lhe um colar e um anel e um broche,
paguei-lhe doces na calçada da Missão,
ficamos num banco do largo da Estátua,
afaguei-lhe as mãos...
falei-lhe de amor... e ela disse que não.

Andei barbado, sujo e descalço,
como um mona-ngamba.
Procuraram por mim
" - Não viu...(ai, não viu...?) Não viu Benjamim?"
E perdido me deram no morro da Samba.
E para me distrair
levaram-me ao baile do sô Januário
mas ela lá estava num canto a rir
contando o meu caso às moças mais lindas do Bairro Operário

Tocaram uma rumba dancei com ela
e num passo maluco voamos na sala
qual uma estrela riscando o céu!
E a malta gritou: "Aí Benjamim!"
Olhei-a nos olhos - sorriu para mim
pedi-lhe um beijo - e ela disse que sim.
............................
VIRIATO DA CRUZ

BOM DIA & BOM TRABALHO | Focalizem vossas energias positivas ao martirizado povo da Síria

guerra-siria

Obs: Focalizem vossas energias positivas ao martirizado povo da Síria.

Como sabeis, desde a invasão do Panamá em 1989, a Inglaterra tornou-se o principal partner militar americano. Desde aquela data, todas as intervenções militares americanas viram a participação activa do ex-colonizador.

UK vs FR. Voltando à Síria. Segundo os últimos takes da agência Reuters, o Governo inglês foi "BATIDO" na Câmara dos Comuns, em mérito a uma possível participação no conflito siriano. Os deputados ingleses não vêm com bom olhos as prova apresentadas até o presente momento. Se ontem o presidente francês mudou radicalmente de posição, afirmando que o conflito em análise requer solução política, hoje foi a vez de de David Cameron, que condicionou a participação inglesa ao beneplácito da intervenção por parte da ONU.

RÚSSIA. Não obstante o condicionamentos parlamentares ocidentais, um factor não menos importante, é a crescente presença de navios de guerra russos no Mediterrâneo; facto este que aumentou o factor “deterrente” da guerra. Qualquer coisa diz-nos que a intervenção poderá ser abortada.

USA. O presidente americano, Barack Obama, deve ainda convencer o Congresso e felizmente as provas que possui são insuficientes. Vamos esperar para ver, porque a guerra no Iraque tornou-se ensinamento histórico.

Que o Senhor ilumine os "astros" da diplomacia!

VIA | #fpb aka #angola2017

#siria #otan #russia #africa #ue #onu #opais #nyt #wp #syria #onu #nu #military#europa #uk #france

quinta-feira, agosto 29, 2013

SÍRIA 2013 | SEM DIPLOMACIA, a III Guerra Mundial espreita nossas janelas, por Francisco Pacavira

Siria e guerra mundial prevesivel

Observando o actual xadrez político-militar do Oriente Médio, podemos afirmar que a "eventual" III Guerra Mundial está já espreitando as nossas janelas; já não se trata de uma remota hipótese. Neste preciso momento, a Rússia e os Estados Unidos estão prendendo posições militares estratégicas no Mar Mediterrâneo, criando assim um jogo de tensão no qual, o mais pequeno erro de cálculo poderá levar o mundo à uma imprevisível crise militar.

A título de exemplo: no Mar Mediterrâneo, por um lado, a presença dos Estados Unidos é constituída pela "Sesta Frota Naval", composta por 40 navios de guerra, 175 meios aéreos, e 25.000 militares de várias especialidades. A estes meios, se juntaram os navios da França e Reino Unido. Por outro lado, a Rússia possui a Tartus, o último porto de atraco militar em toda a zona mediterrânea. Neste momento, encontra-se atracada uma parte da "Frota do Mar Negro", das mais antigas e potentes durante o Império Soviético e actualmente possui cerca de 170 naves de guerras com as respectivas unidade de apoio. É notícia de última hora que o Governo russo autorizou a deslocação àquele porto de um grande navio anti-submarino juntamente com o cruzador de mísseis Moskva.

Como sabemos, a questão siriana, agora mais do que nunca, requer mais tacto político-diplomático do que selvajaria neocolonial, para não asseverar imperialista. Assim sendo, a concentração de inúmeros meios militares, dotados de alta tecnologia de precisão e destruição, numa só zona, constitui um alto factor de risco pela imprevisibilidade de certos factores contingentes.

O jogo da guerra já está em curso. As tácticas são conhecidas, mas as consequência continuam imprevisíveis. É nesta hora que os verdadeiros políticos demonstram o valem. Quem quer a paz, trabalha para paz. Quem busca a guerra, qualquer ocasião é boa.

PREVISÕES:
1) Coalizão árabe-ocidental ataca a Síria com mísseis tomahawk e raides aéreos.
2) A Síria responde atacando Israel e todas os objectivos ocidentais a seu alcance.
3) Russia e China, se não participarão direitamente, agirão por traz. A técnica prevista é a mesma que usou-se na Guerra no Vietnam.
4) O Irão é envolvido no mesma guerra por razões de um acordo de mútua proteção com a Síria. Os seus ataques, prevalentemente missilísticos, serão dirigidos contra objectivos americanos e contra Israel.
5) O Líbano entra no conflito partindo da Hezbollah. O conflito tenderá a alagar-se por toda a região.
6) Tudo é possível.

Para alguns analistas, o alto número de forças ocidentais na zona, deve-se também ao ataque contra o Irão, especificamente aos locais de enriquecimento de urânio. Aproveitar-se-há esta ocasião para uma forçada intervenção "cirúrgica". Eis a maior das preocupações: a desestabilização dos dois países poderá inflamar todo o Oriente Médio e não só.

Que o Senhor ilumine os "astros" da diplomacia!

VIA | #fpb aka #angola2017

#siria #otan #russia #africa #ue #onu #opais #nyt #wp #syria #onu #nu #military#europa #uk #france

quarta-feira, agosto 28, 2013

CELEBREMOS Martin L. King | Mas recordemos também "Emmett Till", por Francisco Pacavira

CELEBREMOS Martin L. King | Mas recordemos também "Emmett Till", o rapaz negro de 14 anos de idade, linchado por namorar com uma menina branca. O assassínio teve lugar em 28 de Agosto de 1955, em Mississippi, dez anos antes do famoso discurso "I have a Dream".

Naquela cidade do Sul dos Estados Unidos, Emmett foi raptado, torturado e assassinado com um tiro na cabeça. Após a morte, o corpo de Emmett foi exposto por vários dias, de modos a mandar uma mensagem à todos os negros.

A escolha do dia 28 de Agosto, por parte da organização e Luther King em pessoa, deveu-se também a este facto. RECORDEMOS: nos USA, sessenta anos atrás, os rapazes negros não podiam - nem pintados - namorar com as meninas brancas. Hollywood também seguia as mesmas regras, e a primeira vez que um negro apareceu beijando uma branca, foi nos anos 70.

Lições de história, lições de vida. RECORDAR, para que não se repitam certos erros aberrantes.

Tenho dito.

Via | #fpb aka #angola2017

Cfr. http://www.biography.com/people/emmett-till-507515
Cfr. http://www.flickr.com/photos/quincypics/2235616789/

#racismo #mlk #lutherking #usa #emmett #brancos

SOBRE SÍRIA | Com este vídeo fecho as minhas publicações "amargas, azedas, ácidas e tristes"

  SOBRE SÍRIA | Com este vídeo fecho as minhas publicações "amargas, azedas, ácidas e tristes". Quem tiver tempo observe estas imagens, qualquer coisa de Angola, anos 90, verá passar diante dos próprios olhos.
- As guerras levam consigo muitas vidas, muitos sonhos, projectos.
- As guerras levam consigo muitos amigos e parentes
- As guerras levam consigo a vontade de viver, viver com dignidade
- As guerras vividas, nunca deixam de existir nos olhos de quem as sentiu.

Um angolano que viveu a segunda parte da guerra civil angolana, de 1992/2002 nunca esquecerá o viu, o que sentiu e o que ouviu. Eis as razões que me levam a pronunciar-me constantemente contra a continuação da política em termos violentos.

Via | #fpb aka #angola2017

#siria #angola #africa #onu #otan #nato #ua #damasco #syria #opais #agora#guerra #conflitos #military

COR DA PELE? | A BRANCA é melhor!? | ÍNDIA a beira de uma crise de racismo sem precedentes?

Racismo em Índia - Produtos para tornar-se claro

O Governo indiano e várias ONG's estão lutando, com todas as armas, para pôr fim com as doenças provocadas pelos produtos que tornam a pele mais clara. "O melhor remédio é aceitação de si mesmo", repetem os activistas. Diz-se que o racismo indiano é delicado, os mais escuros já estão fora do jogo, e eles sabem: servem para fazer figuras.

O indiano "mbumbu", segundo crônicas urbanas do Globalvoices, cresce sabendo que pertence a categoria dos desprezados, e tudo pode mudar se poder singrar na escola, e conseguir um bom lugar nas administrações estatais ou privadas. Com espontaneidade: coitados dos escuros; ou torna-se clarinho, correndo risco do cancro da pele, ou está fora do baralho.

Obviamente existem as excepções.

Em ÁFRICA, para tornar-se claro, são famosos os produtos nigerianos e congoleses, tais como: o Mecaco e o Movats. Estas duas joias "carregadas de mercúrio" e outros produtos de beleza com altas concentrações de materiais cancerógenos, são responsáveis por muitas mortes sem causas claras.

Infelizmente, até mesmo em Angola, muitos cidadãos tinham recorrido aos produtos acima citados. Usavam-se prevalentemente nos tempos em que se dizia que, procurar trabalho com "cambas" mais claros, era como ficar em casa: "os mais claros" viriam a ser chamados e integrados, enquanto tu já eras. Cfr. Músicas do Sebém. Um passado recente que, espero sinceramente, constitua somente recordações amargas.

Mundo cão!

Via | #fpb aka #angola2017

#angola #racismo #peleclara #brancos #negros #luanda #india#mumbai #peleescura

terça-feira, agosto 27, 2013

PEQUENOS & GRANDES FURTOS | Se urge uma reeducação da sociedade angolana, por Francisco Pacavira

Autoridade moral em Angola - QUEM E' QUEM

Todas as sociedades têm os próprios problemas que, normalmente, são proporcionais ao nível de desenvolvimento político-cultural das mesmas. Angola está vivendo o seu décimo primeiro aniversário de paz, no qual nos apresentamos com uma experiência decenal de renovado empenho pelo desenvolvimento integral da nossa sociedade. Ouso afirmar: Angola de hoje é melhor daquela de ontem.

TODAVIA, não obstante os vários progressos que registamos, muitas questões continuam sem resposta, sobretudo aquelas ligadas a corrupção. Em abono da verdade, é um fenômeno social presente em todas as sociedades, que se desenvolvem com maior vigor, nos momentos post-guerra. Um fenômeno, que se não for combatido em momento certo, torna-se numa cultura: a cultura da ilegalidade. Angola encontra-se no momento histórico ideal para combater seriamente os vários vícios sociais, relativos a administração da coisa pública e não só.

PROVA DOS NOVE. Partindo da notícia em anexo, gostaria de colocar à sua atenção algumas questões relativas a legalidade, a aplicação e ao respeito das leis.

Diz-se que a "Culpa" morreu solteira. Observando a notícia em anexo, eu questiono: o problema angolano é de cariz social, político ou cultural? É ainda consequência da colonização, do analfabetismo ou fruto de aproveitamentos? QUAL foi o papel dos "Partidos Políticos" na criação desta paisagem ética e moral? Existe em Angola uma SOCIEDADE CIVIL? Muitos dizem que sim, outros afirmam que não. Eu digo que existe. Mas, nesta óptica, qual foi o seu papel? O que esta tem feito para melhorar a sociedade angolana em geral? Já existem frutos? O que fazer nos próximos anos? O que fazer já amanha? O que fazer hoje?

A questão é delicada, mas não impossível. De qualquer forma, se as nossas reflexões nos portassem a concluir que todos os angolanos estão dentro desta panela, quem tem o dever de começar a mudar esta realidade? Somos todos chamados a combater os vícios que se apresentam na gestão dos bens comuns. O primeiro passo é a consciencialização dos nossos direitos e deveres, pautados na Carta Constitucional. O segundo passo é vincar tais direitos, que se consubstanciam também nas denúncias de todos os erros de administração que venhamos a conhecimento. O terceiro passo é tornar-se num agente pelo bem comum, sobretudo informando os mais débeis e trabalhando com as Instituições de direito.

Tudo pode e deve ser melhorado. Angola está melhorando, contudo a estrada que temos pela frente é mais longa daquela que já fizemos. Dos pequenos aos grandes erros, as denúncias fundamentadas ajudam a desenvolver a nossa sociedade. Se cada um de nós fizesse o próprio dever, já teríamos uma Angola mais angolana, mais africana, mais nossa, de todos os angolanos e amigos de Angola.

Estamos juntos, porque a vitória é certa!

Via | #fpb aka #angola2017

#angola #moral #etica #partidos #desenvolvimento#luanda #huambo #lubango #malanje #cabinda#lundanorte

quarta-feira, agosto 21, 2013

EXEMPLOS - Presidente do Banco Africano de Desenvolvimento elogia Isabel dos Santos

Isabel dos Santos
Donald Kaberuka, Presidente do Banco Africano de Desenvolvimento, apontou Isabel dos Santos como empresária exemplar no contexto do desenvolvimento das economias africanas.

“A Isabel é um exemplo para as mulheres africanas, mas não só, é um exemplo para todos os africanos”, afirmou na reunião do BRICS Business Council, um evento de alto nível que reuniu em Joanesburgo, de 19 a 20 de agosto, representantes políticos e empresários do Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul (os chamados BRICS) e de outros países africanos para discutirem medidas concretas para aumentar os laços negociais, comerciais, de industrialização e de investimento entre os países BRICS e África.

A sessão, em que Isabel dos Santos participou na qualidade de administradora da Unitel e do Banco BIC, foi moderada por Donald Kaberuka e contou também com a participação de Johann Rupert, presidente da Richemont And Remgro, Mo Ibrahim, presidente da Fundação Mo Ibrahim, Alhaji Aliko Dangote, presidente do Dangote Group e Jim Ovia, co-fundador do Zenith Bank.

Dinheirovivo|Agências

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postes populares